Peter Beard, fotógrafo da vida selvagem, morre aos 82 anos

Ele foi encontrado morto em um parque após desaparecer há três semanas. Beard sofria de demência e ficou conhecido por registros da fauna africana. O influente fotógrafo americano Peter Beard, famoso por seus registros da vida silvestre, foi encontrado morto após desaparecer há três semanas. Tinha 82 anos.
“Estamos todos arrasados pela confirmação da morte de nosso querido Peter”, lamentou sua família em comunicado.
Beard sofria de demência. Um caçador encontrou seu corpo no fim de semana em uma área remota de um parque estadual em Long Island, leste de Nova York, informou a polícia.
Usava as mesmas roupas de quando desapareceu, disse a polícia, que recebeu a ligação do caçador ao Camp Hero State Park em Montauk, extremo de Long Island.
Conhecido por seus arriscados registros da fauna africana, o livro de Beard “The End of the Game” (Fim de Jogo) publicado pela primeira vez em 1965, capturou a destruição de um continente considerado por vários impérios coloniais como um baú de tesouro.
Tão selvagem como suas fotografias, Beard quase teve um encontro com a morte quando foi pisoteado por um elefante nos anos 1990, e era conhecido por enlaçar rinocerontes.
“Peter era um homem extraordinário, que levava uma vida extraordinária. Vivia profundamente, aproveitava ao máximo cada segundo de seu dia”, afirmou sua família.
“Era um explorador destemido, sempre generoso, carismático e perceptivo. Peter definiu o que era ser aberto: aberto a novas ideias, novos encontros, novas pessoas, novas maneiras de viver e de ser”, acrescentou o comunicado. “Morreu onde viveu: na natureza”.