Peru proíbe circulação de patinetes elétricos nas calçadas


Veículos de uso pessoal estão liberados em ciclovias ou na faixa da direita das ruas. Medida foi criada após acidente que deixou mulher ferida. Peru proibiu o uso de patinetes elétricos em calçadas
Marcelo Brandt/G1
O Peru proibiu, a partir desta segunda-feira (29), a circulação de patinetes nas calçadas, após uma mulher ficar ferida em Lima por um desses veículos, que têm se expandido como alternativa de transporte nas cidades.
A proibição faz parte de uma legislação de alcance nacional, publicada neste fim de semana no diário oficial, que regulamenta o uso dos “veículos de mobilidade pessoal”, que causaram furor entre muitos usuários. O Brasil já dispõe de regras para esses veículos.
Curte patinete? Veja dicas de como andar
No Brasil, 10 capitais já têm compartilhamento
A normativa do Ministério dos Transportes do país estabelece que os patinetes só podem circular “por ciclovias ou na faixa direita das ruas”.
As autoridades também estabeleceram o limite de velocidade de 20km/h – enquanto os patinetes alcançam um máximo de 25km/h.
Os patinetes elétricos foram bem recebidos em Lima, onde o transporte público urbano é caótico, porque os veículos facilitam viagens de curta distância. Mas eles não trouxeram apenas benefícios.
Em 22 de abril, um jovem de 21 anos atropelou uma mulher de 63 na calçada, causando fraturas nos braços, além de traumas na cabeça.
Os patinetes elétricos surgiram na paisagem urbana do Peru neste ano, quando entraram no mercado, levados pelas empresas Movo e Grin.