Peru permite que um turista japonês visite Machu Picchu sozinho depois de sete meses de espera

Jesse Takayama, o japonês que conheceu as ruínas sozinho, aguardava permissão para entrar em Machu Picchu desde março. Ele estava hospedado na cidade de Águas Calientes, na encosta da montanha. Turismo na pandemia: depois de 7 meses no Peru, japonês visita Machu Picchu sozinho
O Peru autorizou um único turista, um japonês, a entrar no parque de Machu Picchu depois de sete meses que a atração ficou fechada por causa da pandemia de Covid-19.
Jesse Takayama, o japonês que visitou as ruínas, aguardava permissão para entrar em Machu Picchu desde março. Ele estava hospedado na cidade de Águas Calientes, na encosta da montanha.
O plano inicial era ficar apenas alguns dias no país para poder conhecer o sítio arqueológico.
Takayama entrou acompanhado do diretor do parque de Machu Picchu. Ele fez sua visita no sábado (10). Em um vídeo gravado no topo da montanha, ele agradeceu e disse que a experiência era incrível.
A permissão foi dada em resposta a um pedido especial que Takayama fez. “Ele veio ao Peru com o sonho de poder entrar [em Machu Picchu]”, disse o ministro de Cultura, Alejandro Neyra, na segunda-feira (12).
De acordo com Neyra, em novembro as ruínas serão reabertas a visitantes estrangeiros. A capacidade será reduzida, no entanto –normalmente, 675 pessoas passam pelo local, mas com a pandemia, cerca de 200 turistas poderão entrar.
“Ainda estamos no meio de uma pandemia, e tudo será feito com o cuidado necessário”, disse Neyra.