Péricles cai no samba carioca de Claudemir e Mosquito no álbum ‘Tô achando que é amor’


♪ Como vocalista do grupo Exaltasamba, Péricles sempre esteve mais associado ao pagode paulista. Em carreira solo, o cantor vem abrindo o leque do repertório, conciliando estilos e cadências do samba.
Destaque do próximo álbum do artista, Tô achando que é amor, cujo repertório vem sendo apresentado paulatinamente por Péricles desde agosto em série de EPs, o bom samba Amor se pensar que não pega, pega exemplifica essa tendência por ter o DNA dos mais nobres quintais cariocas.
Gravado durante o período de isolamento social, o álbum Tô achando que é amor totaliza 17 músicas, repartidas em cinco EPs que serão postos no mercado fonográfico digital até o fim deste ano de 2020.
Capa de ‘Tô achando que é amor EP 2’, de Péricles
Divulgação
Dois EPs já estão em rotação. Amor se pensar que não pega, pega é o chamariz do EP 2, lançado na sexta-feira, 4 de setembro, juntamente com outras duas faixas do álbum, Cantador (André Renato) e Pediu pra parar, parou (Rodrigo Oliveira, Cleitinho Persona e Elizeu Henrique).
Em 7 de agosto, Péricles lançou o primeiro EP já com ênfase no samba-título do álbum, Tô achando que é amor (Cleiton Fernandes, Elizeu Henrique Goncalves e Rodrigo Oliveira), apresentado ao lado das faixas Batendo um bolão (Péricles e Leandro Fab), Já tava bom (Péricles e Rodrigo Oliveira) e Outro alguém no seu lugar (Péricles, Indinho, Rodrigo Tiago e Vinicius Vian).
Capa de ‘Tô achando que é amor EP 1’, de Péricles
Divulgação