Pedro Sá desconstrói no single ‘Maior’ o imaginário sobre o som do guitarrista


Samba-canção de atmosfera ‘cool’ é a primeira amostra de ‘Um’, álbum que o artista lança em novembro. Capa do single ‘Maior’, de Pedro Sá
Divulgação
Resenha de single
Título: Maior
Artista: Pedro Sá
Composição: Pedro Sá
Edição: Balaclava Records
Cotação: * * * 1/2
♪ É difícil dissociar o guitarrista Pedro Sá do toque cheio de suingue que tem norteado o balanço de parte da música brasileira produzida no século XXI.
Produtor e um dos vértices da BandaCê, trio formado em 2006 para tocar com Caetano Veloso em conexão que durou oito anos, Sá tem toque pessoal que o fez ser requisitado para discos de grandes nomes. Até Maria Bethânia, cantora habitualmente refratária a modernidades, gravou com Pedro Sá.
Contudo, Maior – single que o artista carioca de 49 anos lança na sexta-feira, 1º de outubro, em edição da Balaclava Records – transita com mansidão por vias mais clássicas, na contramão do imaginário construído no universo pop nacional em torno do som do músico.
Primeira amostra do repertório autoral de Um, álbum solo que Pedro Sá lança em 4 de novembro, Maior é samba-canção que soa mais como canção do que samba na forma em que foi captado para o single gerado com produção musical de Pedro e Léo Shogun Moreira no Maravilha 8, estúdio onde o álbum Um foi gravado na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
De inicio guiado por som típico de violão, o samba-canção ganha camada suave de guitarra fuzz quando a gravação contabiliza um minuto e 45 segundos (o fonograma totaliza três minutos e 13 segundos).
Nem as distorções da guitarra de Pedro Sá alteram a atmosfera cool norteada pelo canto do artista ao dar voz a uma música que propaga o amor maior.
“Maior é uma declaração de amor total, infinito, o amor da vida, que nasce da centelha de uma paixão e cresce como vida dividida, fundadora de um mundo, um chão”, filosofa Pedro Sá, ao conceituar a música.
Se a melodia de Maior tivesse a grandeza do amor retratado no samba-canção, o single talvez arrebatasse como as paixões. Ainda assim, Maior é bom aperitivo para esperar pelo álbum Um.