PDV da GM tem adesão de 41 funcionários na fábrica de São José, diz sindicato


De acordo com entidade, medida foi adotada para reduzir efetivo na produção no setor de motores. Prazo para a adesão encerrou na terça-feira (5). PDV de GM em São José dos Campos teve adesão de 41 funcionários, segundo sindicato
Divulgação/ GM
O Sindicato dos Metalúrgicos informou nesta quarta-feira (6) que 41 funcionários da GM aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) na fábrica de São José dos Campos (SP). De acordo com a entidade, a medida foi adotada para a redução na produção no setor de motores da planta da cidade.
O prazo para a adesão ao programa terminou na terça-feira (5). Segundo o sindicato, a ação foi voltada a trabalhadores aposentados ou em fase de aposentadoria e não por excedente na produção.
O índice de adesão está dentro do esperado pela entidade, segundo o vice-presidente do sindicato da categoria, Renato Almeida. “A maioria são aposentados, alguns que arrumaram emprego em outras empresas, está dentro do que imaginávamos”, disse.
Após o desligamento, os trabalhadores que aderiram ao programa receberão pelos dias trabalhados, 13º salário proporcional, férias indenizadas, multa de 40% sobre o FGTS e aviso prévio de até três salários.
Além das verbas rescisórias, eles vão receber o número de salários proporcional ao tempo de trabalho na empresa e terão direito a oito meses de assistência médica.
Procurada pelo G1, a GM informou que não vai comentar o caso. Ao anunciar o PDV no fim de outubro, a montadora informou que “há um remanejamento de mão de obra em curso dentro do complexo de São José dos Campos para adequar as necessidades entre as diversas unidades de produção”.
A planta de São José tem cerca de 5 mil empregados e produz os modelos S10 e Trailblazer.