Ativistas do Pussy Riot são soltos na Rússia


Eles tinham sido detidos logo depois de cumprir 15 dias de reclusão por invadir o Estádio Luzhniki, na final da Copa da Rússia, para pedir a libertação de presos políticos. Pyotr Verzilov, um dos ativistas do Pussy Riot, na terça-feira (31), enquanto saía para audiência em Moscou
Tatyana Makeyeva/ Reuters
A Polícia russa liberou, nesta quarta-feira (1º), quatro membros do grupo de ativistas Pussy Riot. Eles tinham sido detidos logo depois de cumprir 15 dias de reclusão por invadir o Estádio Luzhniki, na final da Copa da Rússia, para pedir a libertação de presos políticos.
Veronika Nikulshina, Olga Kuracheva, Olga Pakhtusova e Piotr Verzilov foram soltos, após ficar mais dois dias detidos, pela manhã desta quarta, indicou Verzilov no Twitter.
Conheça o grupo feminista Pussy Riot
“Em liberdade após passar 16 dias detidos!”, afirmou. Ele ainda divulgou uma foto na qual os quatro aparecem sorridentes, dançando na frente da delegacia, logo após sua soltura.
Veronika Nikulshina, Olga Kurachyova e Olga Pakhtusova deixaram na segunda (30) centro de detenção após cumprir 15 dias de prisão em Moscou, na Rússia
Maxim Shemetov/ Reuters
Os quatro ativistas ficaram presos por 15 dias por invadirem o gramado do estádio durante a final do Mundial de futebol, disputada entre França e Croácia, em 15 de julho, em Moscou.
Eles foram declarados culpados de “violar gravemente as regras de comportamento dos espectadores”. Além da pena de detenção, também foram proibidos de assistir a eventos esportivos por três anos.
Membro do Pussy Riot é detida após invasão do campo na final da Copa do Mundo
Odd ANDERSEN / AFP
Na segunda (30), logo após serem soltos, foram novamente detidos pela polícia, acusados de terem participado de um protesto não autorizado e de terem desobedecido as forças de segurança.
Isso poderia ter-lhes custado até 25 dias na prisão, mas um tribunal de Moscou rejeitou na terça à noite seu comparecimento e devolveu o caso dos quatro ativistas à Polícia, disse um porta-voz dessa corte à agência oficial de notícias TASS.
O grupo terá de se apresentar na sexta-feira (3) à delegacia de polícia.
Manifestante do Pussy Riot é segurado após invadir a final da Copa do Mundo da Rússia
Odd ANDERSEN / AFP

Prefeitura de SP revoga suspensão de contratos com empresas de segurança e zeladoria de parques

Segundo a administração municipal, medida foi uma “obrigação burocrática”; serviços não foram afetados. Zeladoria e segurança de parques da capital não vão ser mais canceladas
A Prefeitura de São Paulo revogou nesta quarta-feira (1º) a suspensão de 22 contratos com as empresas que fazem segurança, zeladoria e conservação de parques municipais da capital. Com isso, os serviços não foram afetados.
A suspensão foi publicada na terça-feira (31), no Diário Oficial do Município. Em nota enviada na terça, a Prefeitura afirmou que a medida foi uma “obrigação burocrática” necessária “para que houvesse um ajuste orçamentário”.
Em 2016, a Prefeitura suspendeu contratos em parques, deixando guaritas de segurança vazias no Parque da Independência e no Parque do Povo.