Metroviários de BH entram em greve nesta quarta-feira

Metroviários não vão trabalhar no domingo e feriados

Metroviários não vão trabalhar no domingo e feriados
CBTU / Divulgação

Os metroviários de Belo Horizonte vão entrar em greve a partir desta quarta-feira (19), conforme decisão em assembleia votada na noite desta terça (18).

Metrô de BH está 89% mais caro

O transporte será mantido em escala considerada mínima pela cactegoria. Nos dias úteis, haverá viagens das 5h15 às 10h e das 16h às 22h.

Duzentas mil pessoas ficam sem metrô em Belo Horizonte

Aos sábados, das 5h15 às 14h. O metrô não irá funcionar no domingo e nos feriados.

Uma nova assembleia está prevista para quinta-feira, quando a categoria deverá decidir se mantém a greve.

Os metroviários reclamam da proposta da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) de reajuste salarial de 1%, entre outros itens da negociação para a convenção coletiva.

O R7 ainda não conseguiu a posição da CBTU sobre o assunto. Entretanto, na sexta-feira passada, a companhia divulgou nota informando ter conseguido liminar junto ao Judiciário para que o serviço não seja completamente paralisado.

Confira a nota na íntegra:

“A CBTU Belo Horizonte obteve junto ao Tribunal Regional do Trabalho a liminar determinando que os metroviários cumpram escala mínima com 80% dos trens circulando de 5h30 às 10h e de 16h às 20h e, de no mínimo 60% em horários normais e nos demais dias da semana, durante a paralisação anunciada para a próxima terça-feira, (18/12), a partir da 0h. A decisão do TRT impõe ainda multa de R$ 300 mil, a ser paga pelo Sindicato dos Metroviários (Sindimetro-MG), em caso de descumprimento da liminar.

A liminar do Desembargador Márcio Flávio Salem Vidigal, atende ao pedido ajuizado pelo Departamento Jurídico da CBTU-Belo Horizonte e estabelece ainda o funcionamento integral, durante 4h30, das áreas de rede aérea, via permanente, sistemas fixos, oficina de manutenção, entre outras. A área de material rodante funcionará por no mínimo 16h diárias, permanecendo em atividade quantos trabalhadores forem necessários para o cumprimento da decisão.

E, fora do horário da escala determinada garantir-se-á, no mínimo um trabalhador na sala de comando e nas torres de controle dos pátios São Gabriel e Eldorado e no Posto de Comando Local de Vilarinho. Havendo serviço inadiável e essencial para o funcionamento seguro dos trens, os trabalhadores deverão cumprir a carga horária necessária para a execução do serviço.

O TRT determinou ainda a notificação da BHTrans, da Setop (Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas), da Transcon (empresa que administra o trânsito da cidade de Contagem) informando sobre a escala deferida, afim de que seja viabilizada a adequação das linhas de ônibus e o aumento do número de veículos em circulação durante o horário em que não haverá trens. O comando da PMMG também foi informado quanto à decisão liminar para que tome as providências que entender cabíveis”.

Leia mais notícias de Minas Gerais

Paciente é agredido por segurança de hospital em Nova Iguaçu (RJ)

Paciente não teria sido atendido mesmo após desmaiar

Paciente não teria sido atendido mesmo após desmaiar
Reprodução/Record TV Rio

Um paciente foi agredido por um segurança do Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na manhã desta terça-feira (18). Estevam Oliveira, de 33 anos, buscava atendimento na unidade de saúde por problemas respiratórios, quando foi atacado pelo homem.

Em entrevista à RecordTV, o paciente agredido afirmou que uma das enfermeiras o encaminhou para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), mesmo sem que passasse por exames. Após Estevam insistir para ser atendido, a mulher decidiu acionar a segurança do hospital.

Um dos seguranças tentou tirar o homem da unidade hospitalar por meio de agressões e aplicando um golpe conhecido como “mata-leão”, até que ele desmaiasse. A mulher da vítima conseguiu registrar em vídeo o momento e chamou a Polícia Militar para o local.

Estevam Oliveira contou ainda que, mesmo desacordado, não recebeu nenhum atendimento até a chegada da viatura. Segundo informações do 20º BPM (Mesquita), equipes foram chamadas para verificar a confusão. Os policiais conduziram os envolvidos para prestar esclarecimentos na 58ª DP (Posse).

A direção do Hospital Geral de Nova Iguaçu informou que enviou ofício para a empresa que presta serviço terceirizado para a secretaria municipal de Saúde, exigindo o afastamento do funcionário que aparece nas imagens e “pedindo a substituição por outro mais preparado”. Também disse, em nota, que reprova veementemente o ocorrido e “reforça que não corrobora com condutas como estas. Nosso atendimento é humanizado, com o máximo respeito ao paciente”.

Assista ao vídeo:

*Estagiária do R7, sob supervisão de Paulo Lima