Governo faz força-tarefa para vistoriar museus e prédios públicos em Minas

Ação envolve 11 órgãos, dentre eles o Corpo de Bombeiros. Objetivo é estabelecer medidas de prevenção. Uma força-tarefa envolvendo 11 órgãos do governo de Minas Gerais começa a vistoriar, nesta segunda-feira (10), museus e prédios públicos para determinar medidas de segurança. A ação de caráter educativo ocorre uma semana após um incêndio destruir o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, gerando preocupação sobre a preservação do patrimônio em todo o país.
A intenção é vistoriar entre 350 a 400 estabelecimentos em 60 dias. As vistorias devem resultar em um relatório final com a situação da segurança dos museus e demais imóveis. O estado tem 430 museus, de acordo com a Secretaria de Estado de Cultura.
O trabalho pretende estabelecer medidas imediatas de prevenção a incêndios e a pânico, evitando riscos a pessoas e aos bens culturais do estado. Os gestores dos locais, bem como funcionários e frequentadores, serão orientados sobre as medidas necessárias e vão pode tirar dúvidas. Paralelamente, adequações podem ser solicitadas.
O Corpo de Bombeiros é um dos órgãos participantes e afirma que podem ser tomadas medidas de urgência, caso encontre risco eminente, isto é, alto. Outros órgãos participantes são Secretaria de Estado de Cultura, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) e Fundação Clóvis Salgado.
Minas Gerais possui legislação específica, que trata das medidas de prevenção em edificações tombadas pelo patrimônio histórico.
O acervo do Museu Nacional abrigava cerca de 20 milhões de itens, dentre eles o fóssil de “Luzia”, descoberto em Minas Gerais e considerado o mais antigo encontrado nas Américas.
MP faz diagnóstico
No dia 4 de setembro, o Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) deu início a um diagnóstico da situação de segurança dos museus e imóveis tombados de uso coletivo no estado. Promotores passaram a notificar os gestores dos estabelecimentos para prestar informações.
O objetivo primeiro é a adequação para que o patrimônio possa ser usufruído sem risco, segundo a promotora de Justiça Giselle Ribeiro de Oliveira, coordenadora das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico (CPPC) de Minas Gerais. O gestor que receber requisição ministerial e descumprir está sujeito a punições e pode até ser preso.

Mauro Carlesse é o primeiro candidato ao governo do TO a ser entrevistado no JA 1


Rodada de entrevistas com todos os candidatos inicia nesta segunda-feira (10) e segue até a próxima sexta-feira (14). No Tocantins, cinco candidatos disputam as eleições. Mauro Carlesse
Divulgação
O governador Mauro Carlesse (PHS), que disputa a reeleição, é o primeiro candidato a ser entrevistado no JA1 desta segunda-feira (10). O jornal começa a partir de meio-dia. Ele terá 15 minutos para responder a perguntas elaboradas pela equipe de jornalismo da TV Anhanguera.
A rodada de entrevistas com os cinco candidatos ao governo termina na próxima sexta-feira (14). Veja a ordem abaixo. O sorteio da ordem das entrevistas foi realizado no dia 17 de agosto e contou com representantes de cada um dos políticos.
Em caso de segundo turno, uma nova rodada de entrevistas será realizada nos dias 15 e 16 de outubro, no JA2, com os dois finalistas. O tempo e ordem das entrevistas serão definidos posteriormente.
O debate do primeiro turno será realizado na noite de 2 de outubro. Se houver segundo turno, um novo programa será realizado no dia 25 de outubro.
Confira a ordem das entrevistas:
10 de setembro – Mauro Carlesse (PHS)
11 de setembro – Carlos Amastha (PSB)
12 de setembro – Bernadete Aparecida (PSOL)
13 de setembro – Marlon Reis (Rede)
14 de setembro – César Simoni (PSL)
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.