Suspeito de matar ex-namorada fica em silêncio durante depoimento e polícia encontra arma do crime


Iury Italu Mendanha chegou a confessar o crime em um vídeo gravado quando foi preso. Silas Barreira também é considerado suspeito; segundo o delegado os dois serão indiciados por feminicídio qualificado. Patrícia Aline foi assassinada em Palmas; ex-namorado é o principal suspeito
Polícia Civil; Arquivo Pessoal
Iury Italu Mendanha ficou calado durante o depoimento prestado na Delegacia de Homicídios de Palmas, nesta quinta-feira (16). Ele é o principal suspeito do assassinato da ex-namorada Patrícia Aline dos Santos, de 29 anos. Segundo o delegado responsável pelo caso, Israel Andrade, o inquérito deve indiciar Mendanha e o amigo dele Silas Barreira por feminicídio qualificado.
O advogado de Silas Barreira, Francisco pinheiro, disse que o cliente teria apenas auxiliado o amigo a fugir. A defesa de Iury ainda não se manifestou sobre o caso.
O delegado afirma que encontrou contradições entre o que Iury disse para os policiais no dia que foi preso e o que Silas disse durante o depoimento em Palmas. Eles afirmaram que a arma do crime havia sido jogada no lago da capital, mas os policiais a encontraram escondida dentro do porta-malas do carro.
Revólver teria sido usado para matar Patrícia Aline
Divulgação/Polícia Civil
Os dois foram encontrados em Campos Lindos na tarde de terça-feira (14) e vão continuar presos na Casa de Prisão Provisória de Palmas. Quando foi preso, Iury chegou a confessar e descrever como matou a ex-namorada. Eles estavam no mesmo carro em que aparecem saindo junto com Patrícia na noite do crime. As imagens são da câmera de segurança de uma padaria e mostram a última imagem da jovem viva.
“Eu acredito que esse crime foi premeditado. Dentro do carro foi encontrada uma mala grande, cheia de roupas e vários pertences dos autores. Eles pensaram nisso, passaram a tarde bebendo, planejando. Eu creio na participação efetiva dos dois no crime de feminicídio, que é homicídio qualificado. Eu vou no final do inquérito indiciá-los. Estou apenas esperando o laudo do IML que ainda não está pronto”, disse Israel.
No depoimento desta quinta-feira (16), Silas chegou a dizer ao delegado que não teve participação no crime, que apenas estava no carro com Iury, mas não conseguiu ver o que aconteceu com Patrícia pois estava escuro.
“Segundo Silas, ele [Iury] efetuou quatro disparos. O Iury entrou no carro e o Silas perguntou: ‘o que você fez?’. E ele respondeu: ‘só dei um susto nela, vamos embora’. E neste momento pediu que o Silas assumisse a direção do veículo e viajaram. E que na ponte, entre Palmas e Luzimangues, eles teriam jogado a arma no lago”, relatou o delegado.
Silas também é suspeito de participação no crime
Divulgação/Polícia Civil
O crime
Patrícia Aline foi encontrada morta em um matagal na última quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Palmas.
Patrícia morava em Palmas há cerca de um ano e trabalhava como consultora de beleza. O corpo da jovem foi enterrado em Serrana (SP) no dia 11 de agosto.
Iury e Silas aparecem em um vídeo horas antes de a jovem ser encontrada morta. Nas imagens, gravadas pela câmera de segurança de uma padaria, é possível ver que Iury chega à casa de Patrícia acompanhado pelo amigo.
No vídeo, Iury chega dirigindo e desembarca sozinho do carro. Ele chama Patrícia na porta e os dois conversam por alguns minutos até que o homem, que seria Silas, também desce do veículo. Os três ficam no local por mais alguns minutos e voltam para o carro juntos, desta vez com Iury no banco do passageiro e Patrícia no banco de trás.
A jovem parecia tranquila e chegou a abraçar o suspeito durante a conversa. Amigos de Patrícia disseram à polícia que ela usou a mesma roupa durante todo o dia, o que pode indicar que ela não esperava a visita e não estava preparada para sair de casa. O vestido é o mesmo com o qual ela foi encontrada morta.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Patrícia morava em Palmas há um ano
Arquivo Pessoal