Flamengo tenta se tornar o primeiro brasileiro a vencer um time da NBA

Lance

Lance
Lance

O Flamengo faz nesta sexta-feira, no Amway Center, em Orlando, um amistoso contra o Orlando Magic. Será a quarta partida do Rubro-Negro contra um time da NBA na história, a sétima de um time brasileiro contra americanos desde 1999 (veja quadro ao lado) e o foco é um só: vencer e se tornar o primeiro time brasileiro derrotar uma franquia profissional do basquete dos EUA. O jogo começa às 20h e terá a transmissão dos canais SporTV e ESPN.

Foi a própria direção do Orlando Magic que convidou o Flamengo. O motivo foi o que ocorreu em 2014. Naquele ano, o Flamengo, então campeão mundial (competição que não conta com a participação dos times da NBA), fez uma série de amistosos nos EUA e, quando enfrentou o Orlando, colocou quase 14 mil pessoas no ginásio da equipe californiana. Foi o maior público da história do Magic em um jogo de pré-temporada.

– Isso mostra a força e o reconhecimento que tem Flamengo. Não foi um convênio da NBA, foi um convite direto, pois o Flamengo tem um time capaz de jogar de igual apar igual contra eles e chama o público, como eles viram em 2014 – disse o treinador Gustavinho, ao Fla TV.

Para o duelo, o Flamengo, que na semana passada sagrou-se tridecacampeão carioca (13 canecos seguidos) tem como novidade a presença de Leandrinho. O armador, que jogou 13 temporadas na NBA, acertou com o Rubro-Negro um contrato para apenas este jogo.

– O Flamengo quer vencer, me chamou para isso, e estou muito motivado com essa possibilidade – disse Leandrinho, campeão da NBA quando defendeu o Golden State Warriors e que na temporada passada jogou a NBB pelo Franca.
Além do armador, o Flamengo apresenta a força de sempre, com Marquinhos, Olivinha e Varejão, este último vivendo uma emoção a mais nesta partida.

– Foi o Orlando Magic que me draftou para a NBA, antes de eu seguir para o Cleveland Cavaliers, onde construí a minha carreira (13 temporadas). Sempre que jogo contra o Orlando tem esse algo a mais e não será diferente desta vez – disse Varejão.

Com o sarrafo lá em cima

O treinador Gustavo Conti trabalhou pesadamente o time do Flamengo tanto nos treinos no Rio quanto nos trabalhos em Orlando, onde o elenco treina há três dias e espera que o Rubro-Negro faça um bom papel nesta noite.

– Jogaremos nas regras da NBA, com a bola da NBA, faz muita diferença. Mas vamos com força máxima para fazer o melhor possível. Traçamos metas para a temporada e fazer bom jogo contra o Orlando é uma delas. Temos elenco grande para aguentar o ritmo deles e estamos cientes de que provavelmente esta é a equipe mais forte que enfrentaremos na temporada. Mas nosso sarrafo está lá em cima – disse Gustavinho ao Fla TV, lembrando que como jogador da Seleção ele jogou duas vezes contra o Dream Team e sabe como é a força dos americanos.

HISTÓRICO

Só derrotas
Até hoje, seis vezes times brasileiros enfrentaram rivais da NBA. Foram seis derrotas.
Vasco em 1999
O primeiro duelo ocorreu em 1999, pelo McDonalds Open. Este torneio tinha status de Mundial de Clubes, pois envolvia o campeão da NBA e campeões continentais. O Vasco, então a potência sul-americana, chegou na final e foi derrotado pelo San Antonio Spurs por 103 a 68.
Flamengo, 2014
Campeão Mundial (já sem clubes da NBA na disputa), o Flamengo fez uma série de três jogos contra times da NBA: Phoenix Suns (100 a 88), Orlando Magics (106 a 88) e Memphis Grizzlies (112 a 72).
Bauru, 2015
O Bauru enfrentou o New York Knicks (perdeu por 100 a 81) e Washington Wizzards (134 a 100).

Por recuperação do Paysandu, Nando Carandina encara próximos jogos como finais

Lance

Lance
Lance

A vida do Paysandu anda complicada na Série B do Campeonato Brasileiro. Sem obter uma vitória há quatro rodadas, a equipe briga para sair da zona de rebaixamento e garantir sua permanência na competição em 2019. Considerado um dos jogadores mais importantes da equipe nesta temporada, o volante Nando Carandina lamentou a derrota da última terça-feira, por 1 a 0 para o CSA, mas mantém a esperança para que o Papão obtenha bons resultados nas próximas rodadas.

– Não tem muito o que conversar neste momento. É focar e trabalhar para tirar o Paysandu desta situação. Temos chances disso e vamos lutar até o fim para que o clube permaneça na Série B para 2019. Precisamos continuar nos dedicando e acreditando até o último jogo na coquista deste objetivo – disse.

Até aqui, o Paysandu passou por períodos de mais baixos do que altos e totaliza 13 derrotas, dez empates e apenas sete vitórias em 31 jogos disputados na competição. Apesar dos números baixos, a equipe está a apenas um ponto de distância do Juventude, que soma 32 e é o primeiro time fora da zona da degola. Tal fator, anima Nando Carandina, que garante encarar os nove jogos que restam até o encerramento da Série B, como verdadeiras finais de campeonato.

– Serão mais nove finais agora, nove decisões. Vamos jogar a vida nestas partidas para terminarmos o ano com o Paysandu na Série B. Lutaremos muito por isso. Não vai faltar entrega e dedicação de todos para que isso aconteça – completou o jogador.

Sem mais compromissos nesta semana, o Papão deve intensificar os treinamentos sob comando de João Brigatti de olho no confronto da próxima terça-feira, contra o CRB. A partida, válida pela 31ª rodada acontece às 21h15 no Curuzu.