Pedestres e ciclistas são orientados sobre segurança na MG-050 em Itaúna


AB Nascentes das Gerais promove abordagens e panfletagem no Km 84 da rodovia nesta quarta (8). Concecionária faz orientação em comemoração ao Dia do Pedestre nesta quarta-feira (8) em Itaúna
AB Nascentes das Gerais/Divulgação
Em comemoração ao Dia Internacional do Pedestre, a concessionária AB Nascentes das Gerais promove nesta quarta-feira (8) o evento “Pedestre na Via e o Ciclista na Via” em Itaúna.
Pedestres e ciclistas serão orientados sobre a importância da travessia segura pela passarela. As abordagens serão feitas no Km 84 da MG-050.
O objetivo da ação é reduzir o número de atropelamentos e chamar a atenção dos moradores de regiões próximas às rodovias sobre a importância da utilização das passarelas instaladas.
Das 7h30 às 10h30, serão entregues orientações e panfletos de segurança. Faixas refletivas serão coladas em bicicletas.
“Esta é uma maneira de sensibilizar as pessoas sobre o alto índice de mortes e feridos no trânsito e promover ações de travessia segura”, explicou a coordenadora de Plano de Gestão Social (PGS) da concessionária, Barbara Vitor.

Pastora evangélica morta no Recife foi ameaçada por homem preso pelo crime, diz família de testemunha


José Luiz da Silva, de 37 anos, foi preso em flagrante e levado para o Cotel após audiência de custódia. Ele tinha ciúmes da ex-companheira, que estava grávida, com a vítima do crime. Homem é preso suspeito de matar pastora evangélica por causa de ciúme no Recife
A pastora evangélica Josefa Maria da Silva, morta a tiros na noite de segunda (6), no Ispep, na Zona Sul do Recife, havia sido ameaçada por José Luiz da Silva, preso em flagrante pelo crime, segundo a família da mulher que estava com a vítima no momento do assassinato e não teve o nome divulgado. De acordo com a polícia, as duas mulheres — a vítima e a testemunha — eram namoradas. (Veja vídeo acima)
José Luiz da Silva, de 37 anos, era casado, mas manteve um relacionamento amoroso com a mulher que presenciou o crime, que está grávida. Após passar por audiência de custódia, ele teve a prisão preventiva decretada e foi encaminhado ao Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.
Um irmão da testemunha do crime, que preferiu não se identificar, afirmou que José Luiz da Silva tinha ciúmes dela com a pastora, mas a família da grávida nega que as duas sejam namoradas.
Pastora evangélica foi morta a tiros no bairro do Ipsep, na Zona Sul do Recife
Reprodução/Google Street View
Os dois se conheceram quando ela trabalhou na lanchonete dele, mas a mulher foi demitida após engravidar. Após demiti-la da lanchonete, José Luiz chegou a pagar um mês do aluguel da casa onde ela mora, mas parou de ajudá-la financeiramente por causa do ciúme da grávida com a pastora.
“Com a ajuda de Josefa, minha irmã estava movendo um processo contra Luiz, tanto trabalhista quanto por causa das ameaças que ele dirigia a ela. Quando viu que minha irmã e Josefa não se afastariam, começou a fazer pequenas ameaças. Um dia, quando ela estava com a pastora na frente de casa, ele passou e disse que, se ela não fosse dele, não seria de mais ninguém”, disse o irmão.
Ainda segundo o irmão da testemunha, ela está abalada e preferiu não dar entrevista. Semanas antes do crime, as duas mulheres passaram alguns dias juntas, em João Pessoa, na Paraíba, onde a pastora passou a morar. Essa viagem teria motivado ainda mais o ciúme de José Luiz.
“Ele rondava o bairro de carro. Se o carro de Josefa estivesse na frente da casa da minha irmã, ele já não entrava. A pastora sempre o chamou, explicou que não tinha nada com minha irmã. Ele vinha fazendo pequenas ameaças e acreditamos que ele soube do processo que seria movido contra ele”, acrescentou o irmão da testemunha do crime.
Entenda o caso
A Polícia Civil informou que Josefa Maria da Silva, pastora da Igreja Rompendo em Fé, em Boa Viagem, também na Zona Sul do Recife, saiu do culto, pegou a grávida e deu uma carona para uma terceira pessoa até uma residência no bairro, na noite da segunda-feira (6).
Ao retornar para a casa da grávida, na Avenida Presidente Kennedy, a pastora parou o automóvel e elas foram surpreendidas por José Luiz. Segundo a polícia, ele atirou três vezes na vítima. A testemunha do crime abria a grade do prédio quando o atirador chegou.
Segundo a polícia, é possível descartar a possibilidade de roubo seguido de morte, já que o dinheiro que estava com a pastora não foi levado.