Macapá registra em 12 horas metade das chuvas esperadas para o mês de abril


Acumulado foi maior do que o esperado pela previsão da meteorologia, de 60 milímetros. Chuvas intensas atingem a capital desde a noite de quarta-feira (11). Cerca de 73 milímetros de chuvas foram registrados em 12 horas
Jéssica Alves/G1
Desde às 21h de quarta-feira (11) até por volta de 11h desta quinta-feira (12) chuvas acima da média foram registradas em Macapá, somando aproximadamente 73 milímetros, segundo o Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET) do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa). O acumulado foi maior do que o esperado pela previsão do órgão, de 60 milímetros.
E as ventanias e pancadas de chuvas devem continuar até o fim do mês de abril, informou o meteorologista Jefferson Vilhena, coordenador do NHMET. Apesar da intensidade, não se trata de uma situação atípica, ressaltou.
“Estamos no período de pico do período chuvoso, que serão fortes e concentradas durante o mês. A espera é que chova 400 milímetros na média mensal. As chuvas que iniciaram na madrugada foram acima do esperado para a previsão diária”, disse Vilhena.
Fortes chuvas resultaram no alagamento em diversos pontos na cidade
Jéssica Alves/G1
Durante a manhã, alagamentos ocorreram em diversos pontos na cidade, especialmente na Zona Central. A água tomou conta do asfalto nas ruas e chegou a invadir calçadas de casas e estabelecimentos comerciais.
“Toda vez que chove forte é assim, a água invade tudo. Já é uma situação que temos que ficar preparados, porque não tem como fugir”, disse a estudante Lorrana Pires, de 22 anos, que mora na rua Professor Tostes, no bairro Santa Rita, que ficou alagada durante a chuva.
Chuvas que iniciaram na madrugada foram acima do esperado para a previsão diária do Iepa
Jéssica Alves/G1
Na avenida Euclides da Cunha, no Centro, moradores reclamam que por, causa dos alagamentos, nem conseguem sair de casa.
“Qualquer chuva, por menor que seja, alaga muito rápido. E sofremos com isso, pois não conseguimos entrar e sair de casa, gostaríamos que fosse tomado providências dos órgãos competentes”, relatou a internauta Diele Guimarães no aplicativo Tô na Rede, da Rede Amazônica.
A Defesa Civil municipal informou que faz monitoramento dos pontos de maior risco, a maioria concentrados nas zonas Central e Sul da cidade. Até esta publicação, cerca de 15 pontos alagados haviam sido contabilizados.
A prefeitura de Macapá reforçou que realiza desde janeiro serviços de limpeza, escoamento e drenagem nas vias da capital e que serão intensificados durante o verão.
Veículos e pedestres tiveram dificuldades para transitar em áreas alagadas
Jéssica Alves/G1
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Powered by WPeMatico

Égua atropelada após fugir do Jockey Club do Rio é sacrificada

Animal foi resgatado pela equipe veterinária do Jockey Club

Animal foi resgatado pela equipe veterinária do Jockey Club
Alessandro Buzas/Estadão Conteúdo-11.04.2018

Morreu na manhã desta quinta-feira (12), a égua atropelada após fugir do Jockey Club Brasileiro, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. O animal, que sofreu traumatismo craniano e várias escoriações pelo corpo, precisou ser sacrificada porque não respondia aos estímulos, informou a equipe veterinária do clube.

A égua puro-sangue inglês foi atropelada três vezes após fugir do Jockey na tarde desta quarta-feira (11). Assim que atravessou os portões, ela foi atingida por uma motocicleta. Ela continuou correndo pela avenida Borges de Medeiros e, em seguida, foi atingida por um segundo veículo. Já perto do Túnel Rebouças, outro automóvel a atropelou.

O motoqueiro envolvido no primeiro atropelamento, identificado como Damião Amaral de Carvalho, de 59 anos, ficou ferido e foi socorrido para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. De acordo com a unidade de saúde, o estado de Damião é considerado grave.

Imagens do circuito interno de câmeras do Jockey Club mostram o momento em que a égua foge do espaço. Ela corre em alta velocidade, ainda tentar parar, mas acaba atingindo o portão principal. Com a batida, a grade se abre e o animal sai correndo pela avenida.

Veja vídeo:

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Powered by WPeMatico