Papa Francisco nomeia novo bispo para a diocese de São João del Rei


Dom José Eudes Campos do Nascimento é o atual bispo da diocese em Leopoldina. Cargo estava vacante deste janeiro, com a morte de Dom Célio de Oliveira. Atual bispo de Leopoldina, dom José Eudes Campos do Nascimento foi nomeado para a diocese de São João del rei
Diocese de Leopoldina/Arquivo
A Nunciatura Apostólica no Brasil anunciou na manhã desta quarta-feira (12) a nomeação do dom José Eudes Campos do Nascimento para a diocese de São João del Rei. A decisão do Papa Francisco transfere dom José Eudes da diocese de Leopoldina para o cargo, que está vacante desde a morte de dom Célio de Oliveira Goulart, em janeiro deste ano.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou saudação a dom José Eudes Campos do Nascimento. O texto é assinado pelo secretário-geral da Conferência, dom Leonardo Steiner. (Confira a íntegra abaixo)
Ainda será anunciada a data que o bispo assume a diocese. Atualmente, padre Dirceu de Oliveira Medeiros, atual vigário geral, exerce a função de administrador diocesano.
Dom José nasceu em Barbacena em 30 de abril de 1966. Estudou filosofia no Instituto Santo Tomás de Aquino, em Belo Horizonte, e cursou teologia no Seminário Arquidiocesano de Mariana. Foi ordenado sacerdote em 22 de abril de 1995, atuando em diversas paróquias da arquidiocese de Mariana e, antes de sua nomeação, trabalhou como pároco da paróquia Santa Efigênia, em Ouro Preto (MG).
Em 27 de junho de 2012 foi nomeado bispo pelo Papa Bento XVI. Recebeu a sagração episcopal no dia 15 de setembro das mãos de dom Geraldo Lyrio Rocha, arcebispo de Mariana, dom Gil Antônio Moreira, arcebispo de Juiz de Fora, e dom Francisco Barroso Filho, bispo emérito de Oliveira. Tomou posse na diocese de Leopoldina no dia 30 de Setembro do ano de 2012. Seu lema episcopal é: “Servus in charitate” que significa “Servo no amor”.
Dom José Eudes Campos do Nascimento é bispo da diocese de Leopoldina desde setembro de 2012
Diocese de Leopoldina/Arquivo
Diocese de São João del Rei
Foi criada em 21 de maio de 1960 pela Bula Quandoquidem novae – “Visto que a constituição de uma nova Igreja sempre conduz à esperança…”, pelo Papa Beato João XXIII, desmembrada da Arquidiocese de Mariana, da Diocese da Campanha e da então Diocese de Juiz de Fora.
Sua instalação se deu no dia 6 de novembro de 1960, na Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, perante Dom Oscar de Oliveira, Arcebispo de Mariana, delegado de . Dom Armando Lombardi, Núncio Apostólico no Brasil.
Possui 40 paróquias em seis foranias: Nossa Senhora do Pilar, Senhor Bom Jesus de Matosinhos, Sant’Ana, Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora do Porto da Eterna Salvação.
Vinte e cinco municípios compõem a diocese: Andrelândia, Barroso, Carrancas, Conceição da Barra de Minas, Coronel Xavier Chaves, Dores de Campos, Ibituruna, Ijací, Ingaí, Itumirim, Itutinga, Lagoa Dourada, Lavras, Luminárias, Madre de Deus de Minas, Mindurí, Nazareno, Piedade do Rio Grande, Prados, Resende Costa, Ritápolis, Santa Cruz de Minas, São João del-Rei, São Vicente de Minas e Tiradentes.
CNBB divulgou nesta quarta (12) a nomeação de dom José Eudes Campos do Nascimento como bispo de São João del Rei
CNBB/Divulgação/Montagem
Confira as íntegras das notas da CNBB e da Diocese de São João del Rei
Saudação da CNBB a dom José Eudes Campos do Nascimento
Brasília, 12 de dezembro de 2018
Prezado Irmão, dom José Eudes Campos do Nascimento.
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se alegra com a sua nomeação, publicada nesta quarta-feira, 12 de dezembro, como novo bispo da diocese de São João del-Rei (MG). Agradecemos, nesta ocasião, a delicadeza e o zelo do Papa Francisco para com a Igreja no Brasil.
À diocese de Leopoldina (MG), que o senhor tem servido desde setembro de 2012, enviamos o nosso abraço de gratidão e nossa palavra de esperança.
Para saudá-lo, nesse momento, buscamos as palavras do Papa Emérito Bento XVI quando se dirigiu aos bispos do Brasil, na Catedral da Sé, em São Paulo (SP), em maio de 2007: “Nós Bispos somos convocados para manifestar essa verdade central, pois estamos vinculados diretamente a Cristo, Bom Pastor. A missão que nos é confiada, como Mestres da fé, consiste em recordar, como o mesmo Apóstolo das Gentes escrevia, que o nosso Salvador «quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade» (1Tm 2, 4-6). Esta é a finalidade, e não outra, a finalidade da Igreja, a salvação das almas, uma a uma. Por isso o Pai enviou seu Filho, e «como o Pai me enviou, também eu vos envio» (Jo 20,21)”.
Fazemos nossas preces acompanhadas de uma súplica para que o seu novo desafio missionário seja pleno de frutos para o Reino de Deus. Enviamos, ainda, nosso abraço fraterno.
Em Cristo,
Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB
Nota da Diocese de São João del Rei
“Bendito o que vem em nome do Senhor”! (Lc 13, 35)
Caro irmão Dom Waldemar, Presbiteros, Religiosos (as), leigos (as)
Hoje, Festa de Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira da América Latina, nossa Igreja Particular está em festa e se rejubila com a nomeação de Dom José Eudes Campos do Nascimento como Bispo de São João del-Rei.
Dom José Eudes, sabemos que senhor já possui laços com nossa Igreja Particular. Além de ser natural da vizinha cidade de Barbacena-MG, o senhor iniciou sua caminhada vocacional junto aos Salesianos nesta cidade.
Dom José Eudes, nós o acolhemos com alegria , espírito de fé e fraternidade, de coração aberto. Pedimos ao Espírito Santo que o inspire em sua missão de ser pastor e “servo no amor”! Este é o seu lema episcopal: Servus in Charitate”! Seja bem-vindo Dom José Eudes!
Por fim, deixemos o Espírito de Deus guiar nossos passos e a caminhada de nossa Diocese, afinal é Ele o protagonista da Missão! E como o Apóstolo Paulo digamos: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. (1 Ts 5, 18)
Em Cristo!
Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros
Administrador Diocesano
Pe. José Bittar
Pe. Neidir António Nogueira
Pe. Geraldo Magela da Silva
Pe. José Walter da Silva Carvalho
Pe. Marcos Alexandre Pereira

Delegacias continuam fechadas em Boa Vista mesmo com intervenção federal


Sindpol diz que faltam materiais básicos de trabalho e afirma que não há previsão para retorno dos serviços nas demais unidades. Polícia Civil faz levantamento das necessidades para apresentar ao interventor federal de Roraima, Antonio Denarium (PSL). Serviços estão concentrados no 5º DP, zona Oeste de Boa Vista
Jackson Félix/G1 RR
O 5º Distrito Policial, onde também funciona a Central de Flagrantes, na zona Oeste de Boa Vista, segue sendo a única delegacia da capital com serviços de atendimento ao público. As demais estão fechadas mesmo após ser decretada intervenção federal em Roraima.
A Polícia Civil informou em nota que realiza um levantamento das necessidades urgentes para que a população volte a se atendida em todas as unidades. O trabalho será apresentado ao interventor federal Antonio Denarium (PSL), à frente da gestão do estado desde essa segunda (10).
Desde meados de outubro, quando a crise financeira em Roraima se agravou, o 5º DP passou a ser a única delegacia funcionando em Boa Vista. As outras fecharam porque faltam itens básicos de trabalho, como papel e tinta para impressora.
De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol), não há previsão para a retomada do trabalho em todas as delegacias.
“A previsão de retorno das atividades é uma decisão que compete a gestão da Polícia Civil, mas no momento, não há condições nenhuma de retomar o trabalho nas outras unidades, em razão da falta de material de expediente”, disse Leandro Almeida, presidente do Sindpol.
Os atendimentos no 5ª DP são feitos de maneira racionada e o setor de investigação também segue parado.
Na delegacia são registrados boletins de ocorrência a feitos lavratura de auto de prisão em flagrante.
Informes estão colados nas portas das demais delegacias
Jackson Félix/G1 RR
No interior são mantidos os atendimentos de ocorrências consideradas graves. Há quatro dias o sindicato suspendeu a paralisação iniciada por conta dos atrasos salariais e falta de material de trabalho.
Os policiais civis e outros servidores da área de segurança receberam os salários do mês de outubro nesta terça, após o interventor federal conseguir o desbloqueio de R$ 19 milhões para pagamento dos agentes.
Mesmo com concentração dos atendimentos do 5º DP, outras quatro unidades policiais da capital que não são especializadas permanecem abertas. Nelas, os agentes atuam na proteção do patrimônio público e no informando a população acerca da situação.
Segundo Almeida, o retorno das atividades deve ser decidido após reunião da categoria com o interventor. “Estamos buscando esforços para atender a população, ainda que minimamente, a fim de que ela não seja prejudicada”, explicou.
Outras quatro delegacias da capital seguem paradas. No prédio do 3º DP também funciona o 4º DP
Jackson Félix/G1 RR
Nota na íntegra da Polícia Civil
A PCRR (Polícia Civil de Roraima) está realizando um levantamento das necessidades urgentes para que a Polícia Civil volte a prestar atendimento à população em todas as unidades. Assim que o trabalho for concluído, imediatamente será apresentada a equipe de intervenção do Estado, para que uma solução seja definida com diretrizes que possam restabelecer, o mais breve possível, os serviços da PCRR.