Justiça suspende quatro festas patrocinadas pela Prefeitura de Tobias Barreto

Segundo a prefeitura, os eventos não teriam natureza eleitoreira e tendentes a favorecer algum candidato ou grupo político. A pedido do Ministério Público Eleitoral, o Tribunal Regional Eleitoral em Sergipe (TRE-SE), determinou a suspensão da realização de quatro festas patrocinadas pela Prefeitura de Tobias Barreto, que aconteceriam nos dias 28, 29 e 30 de setembro.
Segundo o MP Eleitoral, os eventos seriam usados como palanque político por uma candidata a deputada estadual, que é esposa do prefeito do município.
Segundo a investigação, a prefeitura do município planejava executar quatro eventos no fim de semana anterior à eleição: Festival de Arte de Tobias Barreto (Tobiarte), Feira de Artesanato e Confecção de Tobias Barreto (Factob), Festa do Vaqueiro de Tobias Barreto e Tradicional Festa de Setembro de Tobias Barreto.
Ainda de acordo com o MP Eleitoral, para a realização dos eventos, a Prefeitura Municipal assinou contratos no valor de R$ 1,3 milhão de reais, apesar de, desde março, o município ter decretado situação de emergência por conta da seca.
Na decisão liminar que proibiu a realização das festas, a juíza auxiliar do TRE-SE Brígida Declerc Fink afirma levar em consideração os “fortes indícios de conotação política dos eventos listados”.
Também foi estipulada multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento da decisão para o prefeito de Tobias Barreto a candidata a deputada estadual e esposa do prefeito.
Por meio de nota, a Prefeitura de Tobias Barreto, informou que os eventos não teriam natureza eleitoreira e tendentes a favorecer algum candidato ou grupo político, pois os mesmos não acontecem apenas em anos de eleições, mas sempre que há disponibilidade financeira de viabilidade para executar.
Ainda de acordo com a nota, o prefeito lamentou a determinação da Justiça eleitoral e queos eventos seriam promovidos em prol da população e se mostrou solidário a todos aqueles que acabaram sofrendo os reflexos de decisão.

Polícia Civil investiga vazamento de documentos sigilosos da Chapecoense


Ex-funcionários são suspeitos de divulgarem cópias da contabilidade e lista de salários. Polícia investiga ex-funcionários da Chapecoense por vazamento de documentos
A Polícia Civil investiga a suposta participação de ex-funcionários do time de futebol da Chapecoense na divulgação em redes sociais de documentos sigilosos, como cópias da contabilidade e da lista de salários de jogadores e de outras pessoas que trabalham no clube.
O vazamento ocorreu nos últimos 30 dias, disse a polícia. Como parte do inquérito, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em residências de Chapecó, no Oeste catarinense, na última quarta-feira (26).
Os suspeitos de envolvimento no caso estão em liberdade e não haviam sido ouvidos até a tarde desta sexta (28).
Procurada, a Chapecoense disse que a suspeita de que a publicação dos documentos em um blog tenha a finalidade de interferir nas eleições para direção do clube e prejudicar o atual presidente.
Arena Condá, estádio da Chapecoense, em Chapecó, SC
Divulgação/Chapecoense
Na casa dos ex-funcionários a polícia apreendeu equipamentos eletrônicos onde estavam armazenados os documentos em questão. Eles poderão responder pelos crimes de violação de segredo profissional e apropriação indébita.
A Polícia Civil não divulgou o número de suspeitos e nem detalhes sobre as irregularidades. A motivação desses vazamentos é um dos objetivos da investigação. O inquérito deve ser concluído em até 30 dias.
Eleição na Chapecoense
Até o ínicio de novembro, devem ser apresentadas as chapas que vão disputar a presidência do time. A eleição deve ocorrer em dezembro, mas a data não foi informada.
Veja mais notícias do estado no G1 SC.