TRE decide reverter cassação de prefeito e vice de Ingaí, MG

Políticos haviam sido cassados por suposta propaganda irregular, contratação de servidor fora do período e abuso de poder econômico nas eleições 2016. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) decidiu reverter a sentença que cassava os mandados do prefeito e do vice-prefeito de Ingaí (MG). João Paulo Leite (PTB) e João Garcia dos Reis (PTB) tinham sido condenados em primeira instância por suposta propaganda irregular, contratação de funcionários fora do período permitido e abuso de poder econômico nas eleições 2016.
A decisão foi anunciada durante uma sessão nesta segunda-feira (11) e avaliou a sentença dada em primeira instância, pelo juiz de Itumirim, comarca responsável por Ingaí. O relator do processo em segunda instância, juiz Nicolau Lupianhes, afirmou que as alegações não eram suficientes para cassação.
Além de cancelar o processo de cassação de prefeito e vice, o TRE também reverteu a decisão que deixava os políticos inelegíveis. A nova decisão do TRE mantém o prefeito João Paulo Leite no cargo. Nas eleições de 2016, ele foi eleito com 50,88% dos votos.
A ação
A ação de investigação judicial eleitoral (Aije) foi aberta pelo partido MDB, após o fim das eleições em 2016. No processo, a oposição acusava o prefeito João Paulo Leite de propaganda eleitoral irregular e a contratação de novos servidores em período não permitido pela legislação eleitoral.
Também foi apontado abuso de poder econômico, após o prefeito distribuir camisetas amarelas a eleitores. Na sentença em primeira instância, além da cassação, o juiz de Itumirim determinava a inelegibilidade por oito anos.
Agora, o TRE entendeu que apenas a distribuição de camisetas não é suficiente para sustentar a ação de investigação judicial eleitoral. Assim, a cassação foi suspensa. Da decisão cabe recurso.
Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

Dois suspeitos morrem em confrontos com a PM em Londrina

Ocorrências, na noite de segunda-feira (11), foram registradas na zona norte e na zonal sul da cidade. Dois suspeitos morreram em confrontos com a Polícia Militar (PM) em Londrina, no norte do Paraná, na noite de segunda-feira (11). As ocorrências foram registradas na zona norte e na zona sul da cidade.
A primeira foi na Rua Francisco Merlo, no conjunto Aquiles Stenghel, na zona norte, por volta das 19h. Policiais faziam uma abordagem a três homens quando viram um quarto perto de uma casa, com uma arma de fogo.
De acordo com a PM, ao ser abordado, o suspeito correu para dentro da residência, e foi perseguido pelos policiais, que mandaram ele soltar a arma. No entanto, o homem apontou a arma para os agentes, que atiraram, ainda de acordo com a corporação.
O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi chamado mas, ao chegar, a equipe constatou que o homem já estava morto.
De acordo com o Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina, ele foi identificado como Paulo Jonatan de Souza Antunes, de 28 anos.
O outro confronto foi por volta das 22h, no Conjunto União da Vitória, na zona sul de Londrina. Policiais militares faziam o patrulhamento quando desconfiaram do nervosismo do motorista de uma caminhonete.
Os PMs iluminaram o interior do veículo durante a abordagem, e o homem apontou uma arma de fogo para eles. De acordo com a polícia, eles não tiveram alternativa e atiraram contra o suspeito, que morreu no local.
Segundo a polícia, o carro havia sido furtado em Cambará, no Norte Pioneiro do estado. O veículo foi levado junto a arma de fogo apreendida para a Central de Flagrantes.
O IML identificou o homem como Leandro Leal, de 35 anos. Ainda conforma a polícia, ele usava tornozeleira eletrônica.
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.