Cantora Vanusa segue internada sem previsão de alta

Cantora Vanuza, Internada

Cantora Vanuza, Internada
Gazeta Digital

Internada em uma clínica de reabilitação há nove meses, a cantora Vanusa segue sem previsão de alta. 

 

Vanusa, 71, está tratando de uma dependência química e depressão desde maio do ano passado.

 

Em maio, Rafael Vanucci, filho de Vanuza, comunicou fãs e amigos da cantora que ela havia voltado para reabilitação pela terceira vez.

 

Vanusa está internada na clínica Grandhouse, em São Paulo.

 

Em depressão, Vanusa havia perdido mais de 30 quilos,  e estava deixando a família muito preocupada. Ela é acompanhada de perto pelo filho Rafael, que é produtor musical e cuida da carreira de muitos sertanejos famosos.

Em agosto de 2017, a cantora foi internada numa clínica psiquiátrica no interior de São Paulo. De acordo com Rafael, ela foi tratar um vício em calmantes que usa para combater uma depressão severa. Na época, em um comunicado semelhante divulgado em suas redes sociais, Rafael contou que a mãe ficaria pelo menos seis meses no local. Ela teve alta, mas acabou tendo de voltar para a clínica.

 

Segundo amigos da cantora, as visitas são limitadas, mas Vanusa já fala em ir para a casa e retomar a carreira.

“Terei um parecer médico dentro de 45/60 dias”, disse Rafael Vanucci ao KTV.

“Hoje o que posso dizer é que ela está internada, se recuperando!”, afirma ele.

 

 

Petrobras provisionará mais de US$600 mi por arbitragem movida pela Vantage

SÃO PAULO (Reuters) – A Petrobras provisionará mais de 600 milhões de dólares referentes à sentença de arbitragem movida pela Vantage Deepwater Company e Vantage Deepwater Drilling contra a companhia e subsidiárias, segundo fato relevante nesta quinta-feira.

De acordo com a estatal, o efeito decorrente do provisionamento será reconhecido no resultado consolidado do sistema Petrobras do quarto trimestre de 2018.

A arbitragem movida pela Vantage, lembrou a Petrobras, originou-se de um contrato de serviços de perfuração obtido mediante corrupção, conforme revelado pela Operação Lava Jato.

Em julho do ano passado, o Tribunal Arbitral formado por três árbitros decidiu por maioria, com um voto divergente, que a Petrobras e suas subsidiárias deveriam pagar à Vantage a quantia de 622,02 milhões de dólares, acrescida de juros compostos de 15,2 por cento ao ano, a título de ressarcimento pela rescisão antecipada do referido contrato e faturas relativas à perfuração de um poço no Golfo do México.

Em agosto do ano passado, a Petrobras iniciou ação anulatória da sentença arbitral, inclusive com fundamento no voto divergente.

None

(Por Roberto Samora)