Prefeitura investiga descarte irregular de litros de leite de programa social em Tupã


Produto fazia parte do programa ‘Vivaleite’ e tinha validade de 17 de dezembro. Estado não sabia da situação e está apurando o caso com o município. Em Bauru, uniformes distribuídos pela prefeitura também foram encontrados em caçamba de entulho. Litros de leite do programa Vivaleite descartados em caçamba em Tupã
Arquivo pessoal
A Prefeitura de Tupã (SP) abriu investigação para apurar o descarte de sacos de leite encontrados em uma caçamba na Vila Inglesa, nesta segunda-feira (17).
O leite, que estava foi jogado irregularmente no local, estava com a validade para vencer no mesmo dia e fazia parte do programa estadual Vivaleite.
Leite encontrado em caçamba com data de validade de 17 de dezembro
Arquivo pessoal
Segundo a prefeitura, após a distribuição aos moradores cadastrados, os sacos de leite restantes deveriam ser imediatamente levados às entidades assistenciais do município. Mas, dada a situação, vai tomar as medidas cabíveis e punir os responsáveis.
Em nota o Estado alega não saber do descarte irregular e nem das sobras, uma vez que a quantidade de leite enviada pelo programa deveria ser número exato de beneficiários cadastrados no programa.
Litros de leite descartados irregularmente em Tupã
Arquivo pessoal
Além disso, informaram que 1.066 famílias de Tupã participam do programa Vivaleite e recebem 15.990 litros de leite por mês, que são distribuídos em 16 pontos de entrega.
O Estado informou que a Secretaria do Estado do Desenvolvimento Social entrou em contato com o município apuração do caso e que a cidade de Tupã passará novamente pelo treinamento necessário para o atendimento do programa Vivaleite e será fiscalizado.
Mais desperdício
Em Bauru, diversos uniformes escolares entregues pela prefeitura para alunos da rede municipal de ensino foram encontrados dentro de uma caçamba na rua Tamandaré, na Vila Nipônica.
Em meio a entulhos, foram descartados agasalhos, calças e bermudas em bom estado de uso. “Nós sabemos que a grande maioria da população cuida muito bem dos uniformes, mas infelizmente alguns ainda fazem esse tipo de descarte inapropriado e indevido”, comentou a secretária municipal de Educação, Isabel Miziara.
A secretária disse ainda que orienta os pais das crianças e adolescentes que não forem mais utilizar o uniforme escolar que devolvam as peças à Secretaria de Educação ou façam a doação das roupas. “É uma maneira de reutilizar o material que é comprado com o dinheiro da própria população”, finaliza.
Uniformes em bom estado de conservação foram encontrados na caçamba em Bauru
Prefeitura de Bauru/ Divulgação
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.

Rodoviários entram em greve em Marabá, no sudeste do Pará

Cerca de 20 mil pessoas foram afetadas pela paralisação da categoria. Apenas 14 ônibus circulam pela cidade nesta terça-feira, 18. Rodoviários paralisaram as atividades em Marabá, no sudeste do Pará
Rodoviários entraram em greve nesta terça-feira (18) em Marabá, no sudeste do Pará. A categoria cobra o pagamento dos salários atrasados, auxílio alimentação, férias e a primeira parcela do 13º salário. Uma das empresas responsáveis pelo transporte público no município está em processo de recuperação judicial.
Com a paralisação, apenas 14 dos 44 ônibus disponíveis estão circulando em Marabá. Cerca de 20 mil pessoas estão sendo afetadas pela paralisação.
“Eu nem sabia que estava de greve. Eu estou esperando aqui, vamos ver se aparece”, contou Célia Oliveira, dona de casa.
“Agora estamos aqui esperando. Até o táxi lotação está difícil”, contou a autônoma Cacilda Lima.
De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, as empresas foram notificadas sobre os recorrentes atrasos e em assembleia geral da categoria decidiu pela greve.
“Atraso de salário, auxílio alimentação, pagamento de férias, adiantamento salarial e agora, o 13º salário, a primeira parcela, não foi pago. Então isso vem acontecendo rotineiramente. E a categoria, já tinha notificado a empresa, decidiu a paralisação hoje”, explicou Geraldo Dean, presidente da Associação dos Rodoviários.
Segundo Roberto Rodrigues, advogado que representa as empresas do ônibus de Marabá, está ocorrendo uma negociação para a regularização dos atrasos.
“Tendo em vista que hoje a empresa atravessa processo de recuperação judicial, ela tem enfrentado diversos obstáculos para poder operar no transporte público local. O interventor judicial, que hoje é o administrador legal das empresas, vai destinar um aporte de R$ 280 mil para poder suprir parte desses benefícios que estão em atraso”.