Sertanejo Davi, da dupla com Durval, morre aos 63 anos em hospital de Campinas


Cantor estava internado no Ouro Verde e teve hemorragia, diz irmão. Dupla tem três discos de ouro e virou referência para artistas como Chitãozinho & Xororó e Zezé di Camargo e Luciano. Davi, à esquerda, e Durval durante entrevista à EPTV
Reprodução / EPTV
O cantor sertanejo Davi, da dupla com Durval, morreu na madrugada deste domingo (5), em Campinas (SP), após sofrer uma hemorragia, segundo o irmão. Ele tinha 63 anos, estava internado no Hospital Ouro Verde e fazia uso controlado de medicamentos há dois anos por causa de uma cirurgia cardíaca. A dupla nasceu em Goianésia (GO), mas mora em Campinas (SP) desde a década de 1990.
Os músicos iniciaram carreira em 1971 e ao longo da trajetória foram referência e admirados por outros artistas do gênero, incluindo famosos. Em uma rede social, os músicos que se apresentam como “ídolos dos ídolos” têm entre os 6,9 mil seguidores os cantores Zezé di Camargo e Luciano. Já a dupla Chitãozinho & Xororó prestou uma homenagem para Davi nesta tarde – veja abaixo mensagem.
Chitãozinho e Xororó prestaram homenagem para Davi, por meio de rede social
Reprodução / Instagram de Chitãozinho & Xororó
‘A vida toda’
“O Davi fez um transplante de válvula do coração e tomava medicamento para controlar espessura do sangue. Não poderia engrossar senão teria AVC [acidente vascular cerebral], e também tinha o risco da hemorragia se afinasse”, falou Durval. Davi, nome artístico de Expedito José Rocha, deixa 4 filhos e morava desde 1997 na Vila Industrial. O irmão se emociona ao falar sobre as lembranças da carreira.
“São 47 anos juntos, nossos sonhos, realizações. A vida toda”, ressalta.
Conhecidos por interpretar canções como “Buscando a felicidade”, “Meu Natal sem mamãe”, “Cachoeira da Saudade” e “Mistério”, Davi e Durval gravaram um CD em 2008 com participações de César Menotti e Fabiano e João Bosco & Vinícius. Eles receberam três discos de ouro na carreira.
De acordo com Durval, Davi estava internado desde a quinta-feira. Antes disso, o irmão também chegou a ficar hospitalizado por quase duas semanas durante o mês de junho.
Procurada pelo G1, a assessoria da prefeitura informou que o hospital não pode mencionar detalhes sobre a morte do cantor. O sepultamento ocorreu 15h30 no Cemitério Parque das Aléias.
Initial plugin text
Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença
Foto: Infografia/G1
Coronavírus: diferenças entre máscara cirúrgica, de pano, N95 e face shield
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

Please enter banners and links.

Geleiras no Peru recuaram 51% em 50 anos devido às mudanças climáticas


Aquecimento global causou o derretimento de geleiras nos Andes, segundo agência peruana. País tem mais de 8 mil lagoas formadas pelo gelo das montanhas. Montanhas do Peru
Arquivo TG
O aquecimento global causou o derretimento de 51% da superfície das geleiras do Peru nos últimos 50 anos, o que causou a formação de novas lagoas, informou a Autoridade Nacional da Água (ANA).
“O Peru perdeu 51% de sua superfície glacial nos últimos 50 anos devido aos efeitos das mudanças climáticas nessas reservas de água sólida”, indica um relatório da ANA.
O setor de Avaliação de Geleiras e Lagoas da ANA (1948-2019) revela no relatório que novas lagoas relacionadas ao recuo das geleiras foram identificadas.
“As geleiras são ecossistemas altamente sensíveis às mudanças climáticas. Nas últimas décadas, os efeitos foram mais evidentes, gerando uma redução notável na massa das geleiras e a formação de novas lagoas”, diz a ANA.
O Peru tem mais de 8 mil lagoas em suas 18 cadeias de montanhas cobertas de neve no país.
O Glaciar Pastoruri, com 5.200 metros de altura e localizado na região de Ancash (norte), uma das joias do turismo no Parque Nacional Huascarán, é o mais afetado, com mais de 50% de sua superfície derretida pelas mudanças climáticas.
“Entre 1980 e 2019, recuou mais de 650 metros, formando uma nova lagoa que tem contato glacial e continua a crescer”, acrescentou o relatório.
As geleiras de Uruashraju e Yanamarey, também localizadas em Ancash, recuaram em média um quilômetro entre 1948 e 2019.
Geleiras nos trópicos
O Peru possui um total de 2.679 geleiras que cobrem cerca de 2 mil quilômetros quadrados. Em nível nacional, a ANA rastreia 13 geleiras localizadas no centro e sul do país.
O país sul-americano possui a maior cadeia de montanhas tropicais, 71% das geleiras tropicais do mundo, segundo a ANA.

Please enter banners and links.