Comerciante tem carro destruído por incêndio enquanto fazia estudo bíblico na casa de amigos em MS


A idosa de 65 anos levou um tremendo susto. Não se sabe o que teria causado as chamas. Carro em chamas, em Campo Grande, MS
Osvaldo Nóbrega/TV Morena
Uma comerciante de 65 anos teve o carro destruído por incêndio na manhã desta terça-feira (22), na Vila Olinda, em Campo Grande. Ela fazia estudos da Bíblia na casa de amigos quando vizinhos avisaram que o veículo estava em chamas.
O fogo começou na frente do carro e avançaram muito rápido. Um morador tentou apagar o incêndio com extintor de incêndio.
As chamas foram controladas pelo Corpo de Bombeiros. A dona do carro disse que o veículo havia saído da revisão há 10 dias. Ninguém ficou ferido.

Três suspeitos de envolvimento na morte de segurança no Centro de Vitória são presos


Crime aconteceu em outubro de 2018. Um quarto suspeito também foi identificado pela polícia, mas está foragido. Três suspeitos de envolvimento na morte de segurança no Centro de Vitória são presos
Três homens suspeitos de envolvimento na morte do segurança Fábio da Silva Gonçalves, de 42 anos, em outubro de 2018 no Centro de Vitória, foram presos. Um quarto suspeito já foi identificado pela polícia, mas está foragido.
O crime aconteceu no dia 30 de outubro, por volta das 18h, horário em que as lojas do Centro da capital estão fechando as portas. Fábio estava falando celular quando um homem armado veio em sua direção. Ele foi atingido por três tiros na barriga, um no ouvido e um na cabeça.
O suspeito que está foragido foi identificado pela Polícia Civil como Alessandro de Souza Vieira, de 26 anos. Segundo o delegado Janderson Lube, ele seria o executor de Fábio.
Alessandro de Souza Vieira foi identificado pela polícia como o executor do segurança Fábio
Divulgação/Polícia Civil-ES
A motivação do crime ainda não foi esclarecida, mas a principal linha de investigação é de que o segurança teria evitado que Alessandro roubasse uma loja no Centro de Vitória. “Existem informações de que o Fábio teria impedido um assalto e que o crime teria sido uma retaliação. A gente tenta, com a prisão dele, esclarecer totalmente o crime”, disse o delegado.
Os suspeitos presos ajudaram na dinâmica do crime, segundo a polícia. Everson Fernando Santos, de 19 anos, João Victor Gauto, de 20, ficaram esperando Alessandro em um veículo para dar fuga a ele.Os dois foram presos no dia 17 de janeiro. Pablo Ewerton da Silva, de 25 anos, foi identificado como o dono desse carro e foi preso durante uma operação da Polícia Civil em 5 de dezembro.
Everson Fernando Santos, de 19 anos, João Victor Gauto, de 20, foram presos no dia 17 de janeiro
Divulgação/Polícia Civil-ES
Suspeito de dar fuga foi morto em operação
No mesmo dia da prisão de Pablo, a polícia também tentou prender Marco Romano Martins, de 23 anos, que dirigia o carro, segundo as investigações.
Ele não foi encontrado no endereço apurado pela polícia, no bairro São Geraldo, na Serra. Depois, a polícia ainda teve a informação de que ele estaria escondido na casa de parentes, no bairro Santa Martha, em Vitória.
Os policiais foram até a casa, mas durante o cumprimento do mandado de prisão, Marcos Romano acabou morto. A morte dele está sendo investigada pela Corregedoria da Polícia Civil.
Segurança era querido em comunidade
Fábio era professor de Muay Thai em um projeto social no bairro Bela Vista, em Vitória. Ele também vivia na comunidade. Os familiares, moradores e alunos ficaram abalados com a perda.
O estudante Rony Jean tem 12 anos e era um dos alunos do projeto social, ele conta que Fábio era muito divertido. “Ele fazia graça, piada. Ele ia trabalhar, voltava e ficava com a gente”, relembra o menino.
Apesar da tristeza com a perda, o professor deixou um legado e muito aprendizado para as crianças.
“Eu aprendi a ter respeito aos mais velhos e ele falava para ter disciplina na escola” , relata.
Milena, outra aluna do projeto, disse que chora ao lembrar dos momentos que passou com o professor. A menina soube pela mãe e depois viu a notícia na televisão.
“Ele ensinava artes marciais. Ensinava como se defender para a gente não bater nos outros na rua, só se defender”, lembra.
Milena chora ao lembrar de professor assassinado, no ES
Ari Melo/ TV Gazeta
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo