Veja dicas para fazer uma viagem de férias gastando pouco

Com planejamento é possível fazer a viagem de férias do sonhos gastando bem menos do que se imagina. O R7 conversou com Eduardo Fleury, especialista em viagens, e separou algumas dicas de como gastar pouco e se planejar bem para você poder
curtir ao máximo a sua próxima aventura.

Escolha seu destino com antecedência: vai viajar pelo Brasil? Ou
vai explorar lá fora? É importante escolher o destino bem antes da data que se
pretende viajar. 

Comprar passagens
para destinos nacionais com um mês de antecedência e para destinos
internacionais com 3 a 4 meses pode garantir uma economia de até 15% em seu
valor. E, claro, sabendo para onde se vai com antecedência dá para montar aquele passeio legal! 

Procure viajar fora de temporada: a regra é simples: quanto
menos procura haver por um produto ou serviço, mais baixo será seu preço. Isso
também vale para hotéis e passagens aéreas. Hotéis têm menos procura e mais quartos disponíveis quando não se está na alta temporada ou em feriado.

Busque fazer a reserva e comprar as
passagens com antecedência, e prefira viajar fora de temporada. Outra dica: voos costumam
ser mais baratos durante dias úteis do que em fins de semana.

Locais menos disputados são mais baratos: se vai fugir da rotina,
também fuja do óbvio: destinos populares são mais caros. Mas, se seu sonho é
realmente ir para um local badalado, ainda é possível economizar, evitando se
hospedar em bairros mais tradicionais e procurando alternativas confortáveis,
porém não tão conhecidas entre os turistas. 

De novo, viajar fora da alta
temporada pode garantir bons preços para destinos
que podem ser considerados “caros”. 

Use a tecnologia em seu favor: diversos sites podem
ajudar você na hora de estruturar suas férias. Alguns metabuscadores, como o
Kayak, procuram melhores tarifas de voos, hotéis, aluguel de carro ou pacotes
de viagem. 

E o Airbnb, por exemplo, é uma alternativa aos hotéis clássicos,
permitindo que você alugue um apartamento, uma casa ou até um chalé, dependendo
do destino.

Novas aventuras: já pensou em fazer um
mochilão? E então ficar em um Hostel, aqueles hotéis com alojamentos coletivos? 

É verdade que muitas vezes uma viagem assim possa não ser tão confortável, mas uma
aventura dessas pode ser melhor do que ficar em casa durante as férias.

Fidelidade e promoções: verifique se seu cartão de
crédito possui um programa de fidelidade, que pode garantir descontos nas
passagens aéreas. Mas, fique atento: esses programas podem possuir tarifas
altas, não compensando a pontuação. 

Caso você pretenda viajar bastante, também
é interessante se inscrever gratuitamente nos programas de fidelidade das redes
de hotéis.

Faça seu dinheiro render: troque o Real pelo Dólar
(ou a moeda do seu destino) aos poucos, para evitar as altas e quedas
frequentes. Fique atento à cotação da moeda, para não perder dinheiro na
conversão. 

E não esqueça de verificar se seu cartão de crédito é aceito internacionalmente,
caso pretenda usar ele.

Curta o destino: caso você queira realmente
se envolver com o local para o qual vai viajar, é uma boa ideia procurar negócios
locais e fugir das grandes lojas de rede. Procure se envolver com a cultura
local. Agora, é só aproveitar e voltar cheio de boas fotos e boas memórias! 

*Estagiário do R7 sob supervisão de Paulo Lima

Saiba quanto custa ir para a balada nas cidades mais agitadas do mundo

Sair para a balada é um hábito em todo o mundo.
Algumas cidades, no entanto, têm preços mais caros do que as outras. Pensando
em ajudar os baladeiros de plantão, o banco suíço UBS calculou quanto custa a entrada
em uma casa noturna, o preço do taxi, dois drinks e um lanche em uma rede
famosa de fast food em 14 das cidades mais agitadas do planeta. Confira os preços nas próximas fotos

Zurique – R$ 360,15

Cidade mais cara para se curtir uma balada entre as
analisadas pelo levantamento, a maior cidade da Suíça registrou o preço mais
alto para os drinks (R$ 138), o taxi (R$ 96,61) e o lanche (R$ 26,45).

Miami – R$ 334,77

Com a entrada mais elevada (R$ 153), a cidade turística da
Flórida figura como o segundo local mais caro para curtir uma balada entre as
consultadas. Na cidade, os dois drinks saem por R$ 122,88, a
corrida de taxo custa R$ 39,82 e o lanche sai por R$ 49,47

Quem é a celebridade brasileira que pagou R$ 77 milhões por um apê?

 Estocolmo – R$ 333,96 

Com uma diferença de preço de apenas R$ 0,80 em relação a
Miami, a capital e maior cidade da Suécia aparece como a terceira cidade mais
cara do mundo para ir à balada, segundo o UBS

Nova York – R$ 301,20 

Quem quiser curtir uma noite de balada na cidade mais
populosa dos Estados Unidos deve estar com disposição para pagar R$ 96 pela
entrada na casa noturna, R$ 122,8 por dois drinks, R$ 19,54 por um lanche e R$
62,78 pelo taxi

Barcelona – R$ 249,63

O município mais populoso da Espanha também figura entre os
lugares mais caros para curtir a noite. Na cidade, a entrada para a casa
noturna custa R$ 94,73, os dois drinks R$ 94,73, o lanche R$ 18,24 e o taxi R$
41,93

Cinco dicas para organizar as contas e economizar dinheiro

Sidney – R$ 241,07

Para
curtir uma festa na cidade mais popular e populosa da Austrália, são
necessários R$ 10,40 para o taxi, R$ 16,97 para o lanche, R$ 108 para beber dois drinks
e R$ 75,49 para entrar na balada

Hong Kong – R$ 239,34

Na região administrativa da China, o
UBS apurou que a entrada na balada custa R$ 98,11, dois drinks R$ 105,94, o Big
Mac R$ 11,02 e a corrida de taxi R$ 24,26

Paris – R$ 233,62

Para curtir uma note de farra na Cidade
Luz, os baladeiros de plantão devem ter a consciência de que terão que arcar
com R$ 53,83 para entrar em uma casa noturna, R$ 113 pelos drinks, R$ 20,68 por
um lanche e R$ 42,47 pelo taxi

Tóquio – R$ 222

Localizada na maior ilha do arquipélago que forma o Japão, a
cidade é a última com a aparecer com a balada custando mais de R$ 200. No
local, as entradas para casas noturnas figuram em R$ 71,34, dois drinks custam R$
72,72, um Big Mac sai por R$ 13,44 e a corrida de taxi soma R$ 65,35

Astro do rock coloca à venda duplex de R$ 16,3 milhões em Londres

Praga – R$ 177,75

 

A capital da República Checa representa
o primeiro local do índice com a balada completa custando menos de R$ 200. Na
maior cidade do país, a entrada na boate custa cerca de R$ 75, os dois drinks
R$ 55, o lanche pós-festa R$ 14,36 e o taxi para voltar para casa R$ 33,13

Rio de Janeiro – R$ 169,22

A
principal cidade turística do Brasil tem a entrada nas baladas ao curso de,
aproximadamente, R$ 56,67, os dois drinks a R$ 71, o lanche no valor de R$
21,54 e a corrida de taxi na faixa de R$ 20. Os preços colocam a capital
fluminense como a terceira mais barata para curtir a noitada.

Moscou – R$ 101,99

A cidade que acabou de receber a final da Copa do Mundo tem
os valores mais baixos computados para a entrada na balada (R$ 5) e a compra de
um Big Mac (R$ 8,79). Com isso, a capital da Rússia figura como a segunda mais
barata pelo ranking do UBS

Vai viajar? Veja os serviços cobrados pelas companhias aéreas

Cidade do México – R$ 78,14

 

Único local a aparecer com o custo total da balada abaixo
dos R$ 100, a capital do México tem os dois drinks (R$ 44,54) e o taxi (R$
9,67) como os mais baratos da relação. Os valores da entrada na casa noturna
(R$ 12,36) e do lanche (R$ 11,55) também figuram abaixo do preço médio das outras cidades