Seis são presos em operação contra homicídios e tráfico de drogas no Sul do RS

Criminosos foram detidos no bairro Jardim América, em Capão do Leão Crédito: Polícia Civil / Divulgação / CP

Criminosos foram detidos no bairro Jardim América, em Capão do Leão Crédito: Polícia Civil / Divulgação / CP
Correio do Povo

Seis pessoas foram presas nesta segunda-feira, em Capão do Leão, na Zona Sul do Estado, durante a Operação Tisífone da Polícia Civil. A ação teve como objetivo apurar homicídios e a possível ligação dos criminosos com facções e tráfico de drogas.

Cinco homens, de 32, 22, 21, 19 e 18 anos, e uma mulher, de 18, foram detidos no bairro Jardim América. Dos presos, quatro foram por mandado de prisão preventiva e outros dois em flagrante por posse irregular de arma de fogo e tráfico de drogas. Com a dupla, ainda foram apreendidos munições de diversos calibres (incluindo fuzil), caderno com anotações relativas ao tráfico e uma balança de precisão, além de R$ 500 em espécie.

Segundo as investigações, pelo menos dois dos presos têm alguma ligação com grupos criminosos que atuariam na região de Pelotas. “A importância dessa operação é no sentido de coibir os crimes de homicídio dentro do município, que é um território dominado por um grupo criminoso”, afirmou o delegado Sandro de Moraes Bandeira.

Duas pessoas que possuíam mandado de prisão não foram encontradas e ainda permanecem foragidas. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e quatro de prisões preventivas.

Facebook é pressionado para melhorar proteção de dados

Facebook é pressionado para aumentar a proteção de dados

Facebook é pressionado para aumentar a proteção de dados
Eric Gaillard/Reuters-20.06.2018

O governo do Japão pediu nesta segunda-feira (22) que o Facebook melhore a proteção dos dados pessoais de seus usuários após falhas este ano que afetaram dezenas de milhões de pessoas no mundo.

Pequim pediu que a maior empresa de mídia social do mundo comunique todos os problemas de segurança aos usuários, aumente a vigilância sobre provedores de aplicativos em sua plataforma e informe os reguladores de qualquer mudança nas medidas de segurança.

A solicitação vem depois que o Facebook disse neste mês que hackers roubaram dados de 29 milhões de contas de usuários. Depois da revelação de abril, de que informações pessoais de quase 87 milhões de usuários foram acessadas indevidamente pela empresa britânica Cambridge Analytica.

A Comissão de Proteção de Informações Pessoais do Japão, que investigou o caso da Cambridge Analytica com autoridades do Reino Unido e de outros lugares, emitiu uma declaração nesta segunda-feira detalhando seu pedido ao Facebook. A solicitação não contém ordens administrativas ou penalidades e não é juridicamente vinculativa.

A rede social prometeu detalhar em seu site em japonês como atenderá ao pedido, disse a Comissão.

O órgão japonês também disse que o caso da Cambridge Analytica afetou potencialmente 100 mil usuários no Japão, e que o ataque cibernético deste mês também pode ter impacto sobre os usuários japoneses.

Representantes do Facebook não responderam imediatamente a um pedido da Reuters por comentários.