Ladrões usam moradores como escudo humano em assalto a bancos

Vítimas não ficaram feridas

Vítimas não ficaram feridas
Reprodução / RecordTV Minas

A Polícia Civil procura os suspeitos de explodir e roubar duas agências bancárias, nesta terça-feira (25), em Machado, no Sul de Minas Gerais. Durante a ação, dois homens foram feitos reféns e ficaram sob a mira de armas de fogo em uma praça da cidade.

Segundo a PM (Polícia Militar) ao menos 15 pessoas não identificadas participaram da ação criminosa. O grupo chegou no Centro da cidade em três carros durante a madrugada. Todos eles estavam com os rostos cobertos.

Fortemente armados, antes de explodirem os caixas eletrônicos, os suspeitos atiraram para o céu e contra fachadas de imóveis. Em uma gravação de áudio, um policial pede reforço aos colegas e afirma que as armas usadas se pareciam com fuzis. “Arma longa, arma longa. Tiro de fuzil, positivo?”, alerta.

Testemunhas relataram que a quadrilha trocou tiros com a polícia após a chegada dos militares no local. No entanto, para se protegerem, os homens encapuzados fizeram dois moradores de reféns. As vítimas foram colocadas sob a mira de uma arma de grande porte. Imagens de circuito de segurança mostram elas sem camisa e com as mãos para o alto.

Apesar do susto, os reféns não ficaram feridos. De acordo a polícia, assim que o grupo terminou o assalto, as duas vítimas foram liberadas.

Os suspeitos fugiram por uma estrada de terra no sentido da cidade de Serrania. Até o momento, a quantia roubada não divulgada e nenhum dos envolvidos no crime foram localizados.