Prefeitura realiza teste rápido de leishmaniose visceral na zona rural de Ipatinga neste sábado (7)


Nos seis primeiros meses deste ano, foram notificados 24 casos da doença em humanos, sem nenhum óbito, e 593 casos em cães, que tiveram de ser eutanasiados. Teste rápido de leishmaniose visceral em cães
Prefeitura de Ipatinga/Divulgação
Neste sábado (7), cerca de 30 agentes de combates a endemias de Ipatinga, no Vale do Aço, realizam a aplicação de testes rápidos de leishmaniose visceral canina na zona rural do município. A ação, que será desenvolvida no Bairro Pedra Branca, visa o controle da doença na cidade. De acordo com dados da prefeitura, nos seis primeiros meses deste ano foram notificados 24 casos da leishmaniose em humanos, sem nenhum óbito, e 593 casos em cães, que tiveram de ser eutanasiados.
Dois pontos estratégicos do Bairro Pedra Branca recebem a ação neste sábado: um deles no início do bairro, para a comunidade ribeirinha, e outro próximo à Escola Municipal Hermes de Oliveira Barbosa. Os testes são gratuitos.
Segundo o serviço de zoonoses da prefeitura, durante a campanha de vacinação antirrábica, que teve início em junho, foram percebidos muitos casos de cães domésticos e de rua que apresentavam os sintomas da doença na área rural, que também não puderam ser protegidos com a vacina contra a raiva animal. Em decorrência disso, o mutirão de testes rápidos foi pensando.
“Quem transmite a leishmaniose é o mosquita flebótomo, só que ele tem o voo muito curto, então quem transmite para o homem é cão, que foi picado pelo mosquito. E os cães têm uma particularidade, eles transmitem o vírus um para o outro sexualmente e também para os filhotes, então o cão como reservatório, fica mais fácil a transmissão dessa doença. Uma das formas de eliminar a doença é detectar o cão positivo e fazer o controle da população canina, além da educação e saúde da população, que tem fazer a limpeza dos quintais, pois o mosquito se multiplica em matéria orgânica em decomposição”, afirma o gerente do Centro de Controle de Zoonoses de Ipatinga, Fernando Anacleto.
Campanha de conscientização e combate da doença começou em junho
Prefeitura de Ipatinga/Divulgação
De acordo com a prefeitura, em 2017, 81 casos da doença em humanos foram notificados, havendo cinco óbitos. O número de casos em cães não foi divulgado. A vacina contra a leishmaniose visceral canina não é oferecida no serviço público, mas é vendida no comércio para imunizar cães sadios.
O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Ipatinga presta o serviço de teste rápido e eutanásia em animais com sorologia confirmada para leishmaniose gratuitamente durante o ano. Para o procedimento, o órgão esclarece que é necessário aplicar um anestésico específico que poupe o animal de dores. O CCZ de Ipatinga funciona das 7h30 às 16h na Avenida Simon Bolívar, 789, Bairro Cidade Nobre.

Professora tira dúvidas de Língua Portuguesa

O tema é escrever bem.

 

Todo mundo tem dúvidas de português, de vez em quando. Qual preposição usar depois de um verbo, como se diz o feminino de alguma palavra, usar “eu” ou “mim” em determinada frase… E, na hora de escrever, a situação piora. São muitas exceções, e nós temos que nos preocupar com ortografia, acentuação, concordância, regência… Pra ajudar a tirar essas dúvidas, a Michelle Loreto conversou com a professora de Língua Portuguesa Eva Albuquerque, no TEMA É ESCREVER BEM.