Tornozeleira de suspeito de matar jovem na frente da namorada registrou trajeto feito com corpo, em Goiás


Renan Gouveia, 23, foi morto a tiros durante assalto. Percurso feito por criminosos foi registrado pela SSP, que diz que jovem, que cumpre pena em regime aberto, descumpriu horário 58 vezes. Suspeito de matar estudante é preso do semiaberto e desrespeitou ordem de não sair à noite
A tornozeleira eletrônica usada por Paulo Victor Ferreira, de 25 anos, preso suspeito de participar da morte do estudante de administração Renan Gouveia, assassinado na frente da namorada, registrou o trajeto feito com o corpo do jovem entre Aparecida de Goiânia e Abadia de Goiás, na Região Metropolitana da capital (veja abaixo). Segundo a Segurança Pública (SSP), Paulo Victor, que cumpre pena em regime aberto, descumpriu os limites de horário 58 vezes entre março e junho deste ano.
De acordo com o coordenador de Monitoramento da SSP, Rodrigo Helu, as irregularidades no comportamento de Paulo Victor foram relatadas à Justiça, que pediu relatórios da tornozeleira do preso. Ele afirma que o documento foi enviado, mas até ele ser preso pela morte de Renan, nenhuma medida havia sido tomada.
“Até o momento, nós não tivemos um posicionamento da Justiça, mas nada impede de que a qualquer momento esta decisão judicial estivesse sendo expedida”, disse.
O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) informou à TV Anhanguera que o acompanhamento é feito pela Central de Monitoramento da SSP, mas não se pronunciou sobre as medidas que deveriam ter sido tomadas depois das 58 vezes em que Paulo Vitor desobedeceu aos limites da tornozeleira.
Renan Gouveia foi morto na frente da namorada em assalto em Aparecida de Goiânia
TV Anhanguera/Reprodução
Renan foi morto na noite de sábado (30), no Conjunto Estrela do Sul, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Segundo o delegado, o estudante estava com a namorada dentro do carro, chegando a uma festa junina na casa de parentes, quando foi abordado por Paulo Victor e Lennifer Eder do Nascimento, de 25 anos, que chegou a confessar o crime em um vídeo gravado pela Polícia Militar (veja abaixo). Ambos suspeitos permanecem presos.
O promotor de Monitoramento do Sistema Prisional, Marcelo Celestino, disse que é preciso aproveitar melhor as informações do monitoramento para poder esclarecer outros possíveis crimes.
“É um repertório de informações que a Polícia Civil deve explorar para saber se ele cometeu outros crimes, porque este ele foi preso, e os outros que ele pode ter cometido e não foi preso?”
Central de Monitoramento revela trajeto feito por suspeito de matar jovem em Aparecida de Goiânia
TV Anhanguera/Reprodução
Trajeto
Segundo a SSP, Paulo Victor é monitorado desde março pela tornozeleira, quando teve progressão para o regime aberto. Ele estava proibido pela Justiça de sair de casa entre 20h e 6h. No entanto, conforme a Central de Monitoramento do órgão, desrespeitou a medida 58 vezes ao longo dos últimos quatro meses.
A última infração ocorreu na noite do último dia 30, quando Renan foi assassinado. Os relatórios da SSP mostram que, no dia do crime, Paulo Victor saiu de casa depois das 20h. Às 22h13, ele estava no local onde o estudante foi morto na frente da namorada.
Em seguida, o computador da Central de Monitoramento mostra o trajeto de mais de 30km feito entre a Rua H-001, onde Renan foi morto, e uma estrada vicinal de Abadia de Goiás, onde o corpo do jovem foi deixado. O programa mostra que o suspeito esteve no local às 22h52.
Jovem que viu namorado sendo morto a tiros em Goiânia Goiás
Reprodução/TV Anhanguera
Depoimentos
Segundo o delegado Rhaniel Almeida Pires, Renan estava com a namorada dentro do carro, chegando a uma festa junina na casa de parentes, quando foi abordado por uma dupla de assaltantes. Ele afirma que a namorada de Renan contou em depoimento que os bandidos também tentaram atirar contra ela, mas que a arma falhou.
“Ele desceu do carro para interfonar. Nesse momento, chegaram os dois assaltantes e os renderam. A namorada não viu como chegaram. Ela também desceu do carro, mas os assaltantes mandaram eles entrarem. O Paulo Vítor assumiu a direção, e os outros três ficaram no banco traseiro. Estavam no banco de trás ela, o autor do tiro e o namorado”.
“Depois que atirou no Renam, ela tentou brigar com ele, pegar a arma. Ela acha que ele apertou o gatilho, mas não disparou. Ele empurrou ela, apertou e a ameaçou de morte: ‘Fica quieta se não vou te matar’”, contou o delegado.
O investigador, que é titular do 5º Distrito Policial da cidade, disse ao G1 que os depoimentos dos presos devem ocorrer ao longo desta semana.
“Nós estamos colhendo o máximo de informações, fazendo a oitiva de testemunhas, antes de interrogá-los. Queremos ouvir pessoas que podem por ventura ter visto a abordagem ao Renan e a namorada ou até mesmo terem sido testemunhas do momento em que o corpo foi deixado e o veículo abandonado”, afirmou Rhaniel.
Ladrão é preso e confessa ter matado jovem na frente da namorada, em Aparecida de Goiânia
Mãe escutou tiro
Os pais do estudante desabafaram sobre a perda do filho em entrevista exclusiva à TV Anhanguera. Emocionada, a mãe do rapaz contou que ouviu um disparo e os bandidos saindo com o carro.
“Levou meu anjo. Eu escutei o barulho do tiro. O carro atropelou uma lixeira e foi embora. A pessoa que matou o nosso filho não sabe o tamanho da dor que está trazendo para nós”, disse.
Já o pai do jovem afirmou que teme que Renan se torne apenas parte das estatísticas. “Meu filho é um morto a mais nessa onda de violência que a gente está”, desabafou.

Preta Gil faz show de graça na Praça Mauá depois do Brasil enfrentar a Bélgica


A cantora faz show com o Bloco da Preta com 15 ritmistas e bailarinos. Preta Gil se apresenta no Boulevard Olímpico após jogo do Brasil na Copa
Amanhã a Arena da Praça Mauá vai ferver antes e depois do jogo do Brasil. Assim que partida acabar, entra em campo o Bloco da Preta. A cantora arremata: “O Bloco da Preta já é uma tradição no carnaval de rua no Rio. A gente já completa, agora em dois mil e dezenove, dez anos; e estar com o público carioca na torcida pelo Brasil , pra mim , é um presente.”
Preta entra em campo com tudo: Mestre Pablo, quinze ritmistas, banda, bailarinos e aquele repertório que mistura funk, samba, MPB, sertajejo, axé, sofrência, xote, baião, xaxado, e muito mais.
Sobre o jogo, Preta diz: “Vou assistir a partida lá, vou ficar lá, me concentrando , porque eu gosto de assistir o jogo quietinha,. Mas depois, Brasil ganhando ou perdendo, mas não vai perder , estaremos lá com o Bloco da Preta pra gente celebrar a vida!!!! ”
Bloco da Preta
Arena da Praça Mauá – sexta, às 17h15
entrada grátis
classificação livre
Dicas do Fábio Júdice
Editoria de Arte/G1