Rússia leva a melhor e Brasil é eliminado na Liga das Nações

Lance

Lance
Lance

A Seleção Brasileira de Vôlei deu adeus à Liga das Nações neste sábado. A partida contra a Rússica foi totalmente contra todo o esforço apresentado pela Seleção durante as etapas preliminares da Liga das Nações. O que sobrou que controle e qualidade, faltou em equilíbrio e poder de reação na partida deste sábado. Com a derrota, sob as parciais de 25/17, 25/18 e 25/14, a equipe de Renan Dal Zotto fica para a disputa do terceiro lugar da competição contra os Estados Unidos, neste domingo, às 12h (de Brasília). Já a classificada Rússia, enfrenta a França na final.

O JOGO
​O Brasil chegou a abrir o placar, mas a Rússia aproveitou da força para conseguir mais pontos e chegar à primeira parada técnica à frente, com 8/7. A equipe de Renan Dal Zotto ainda chegou a virar o placar, mas a Rússia se saiu melhor e tomou a frente novamente. Com um ace, Volvich fez a vantagem russa chegar a 5 pontos. A equipe brasileira recebia o apoio de seu técnico à beira da quadra, mas a motivação não foi suficiente. A Rússia expandiu a diferença e fechou o set em 25/17.

Já no segundo set o Brasil tentou mostrar reação e chegou a equilibrar a força com a Rússia. Desfalcado, no entanto, não foi suficiente. Os russos abriram vantagem sobre os brasileiros e na volta do tempo técnico deixam a vantagem ainda maior, abrindo 18 a 11. Apesar das tentativas, nada foi suficiente para parar a Rússia, que fechou o set em 25/18.

Com a vitória cada vez mais distante, a Seleção Brasileira não teve reação diante da seleção russa. Ele mantiveram a vantagem e organizaram o jogo da forma que vinham fazendo durante os sets anteriores. Abriram vantagens sobre a equipe de Dal Zotto e garantiram a vitória fechando o set em 25/14.

Inglaterra não é derrotada com Henderson em campo há quatro anos

Lance

Lance
Lance

A grande campanha da Inglaterra na Copa do Mundo de 2018 chama atenção pelas seus destaques. Harry Kane e Pickford têm sido decisivos, mas a consistência de Jordan Henderson também rende aplausos. O meio-campista do Liverpool carrega um dado histórico ligado a equipe: quando está em campo, a seleção inglesa não deixa o campo com uma derrota há 30 jogos. É o maior período de invencibilidade de um atleta do país na história.

A última derrota de Henderson com a Inglaterra foi na Copa do Mundo de 2014, quando foi superada por 2 a 1 para o Uruguai, ainda pela fase de grupos. Desde então, disputou torneios como eliminatórias da Eurocopa, a própria Eurocopa, eliminatórias da Copa do Mundo e o Mundial da Rússia sem deixar o campo atrás no placar.

Neste período, a Inglaterra foi derrotada em algumas oportunidades, mas o meio-campista não esteve em campo em nenhuma delas. Caso da eliminação para a Islândia na Eurocopa, onde Henderson começou no banco e não entrou, ou em amistosos contra Alemanha e França, onde foi desfalque por lesão.

Contra a Suécia, neste sábado, a Inglaterra venceu por 2 a 0, em Samara, e se garantiu como uma das quatro melhores deste Mundial – fato que não ocorria desde 1990. Classificada, a seleção inglesa se prepara para a semifinal, marcada para a próxima quarta-feira, às 15h, em Moscou, contra o vencedor da partida entre Rússia e Croácia.