Dr. Bumbum e mãe vão prestar novos depoimentos à polícia nesta sexta-feira


Investigadores precisam confrontar as informações deles com as testemunhas. Ambos foram presos na tarde desta quinta (19) depois de uma denúncia anônima. Eles foram indiciados por homicídio qualificado. Denis Furtado, o Dr. Bumbum, e a mãe, Maria de Fátima, foram presos pela PM nesta quinta-feira
Reprodução/PMERJ
A polícia vai ouvir novamente, nesta sexta-feira (20), o médico Denis Furtado, o Dr. Bumbum, e da mãe dele, Maria de Fátima Furtado. Ambos foram presos na tarde desta quinta-feira (19) no escritório do advogado, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, depois de uma denúncia anônima.
O Disque Denúncia tinha oferecido R$ 1 mil por informações que levassem à prisão da dupla. Os investigadores disseram que precisam confrontar as informações deles com as testemunhas. O médico e a mãe estavam foragidos há quatro dias. Eles foram indiciados por homicídio qualificado.
Os dois vão responder pela morte da bancária Lilian Calixto depois de um procedimento estético. Eles foram presos por volta das 15h e prestaram depoimento até o fim da noite. Eles passaram a madrugada em salas separadas da delegacia. A tia de Denis esteve na delegacia durante a madrugada, mas não deu entrevista.
O procedimento estético na bancária Lilian Calixto foi feito no sábado (14), na cobertura do médico, na Barra. Ela morava em Cuiabá e veio ao Rio só pra fazer um preenchimento nos glúteos.
Depois de passar mal, foi levada para o hospital – pelo médico, pela mãe dele, pela namorada, Renata Fernandes Cirne, e pela técnica de enfermagem Rosilane Pereira da Silva.
Horas antes de ser preso, Denis Furtado gravou um depoimento. “Uma fatalidade que acontece com qualquer médico. Uma paciente minha, no meu consultório, após um procedimento de bioplastia de glúteos, que eu já realizei 9 mil, ela saiu do consultório muito bem e umas seis horas após que eu a levei para o hospital e ela chegou ao óbito algumas horas após, com parada cardíaca.
Só que numa entrevista aos jornalistas, ele deu uma versão diferente, disse que Lilian não chegou a ir embora.
“Realizamos entre por volta de seis a sete horas durante o turno da noite. Ela se levantou bem, saiu bem da maca, mais ou menos onze horas ela estava indo embora, estava indo embora pro hotel dela, já com o taxista dela esperando na porta, e me relatou um leve enjoo uma queda de pressão. Já aferi a pressão dela, na mesma hora, Umas onze e meia falei o seguinte: ‘Olha, a senhora está com uma queda de pressão, mesmo que leve. Vamos ao hospital e lá a gente avalia’”, disse ele na delegacia.
O taxista contratado por Lilian aqui no Rio disse, em depoimento à polícia, que a bancária voltaria para Cuiabá na mesma tarde.
Ele declarou que deixou Lilian na casa do médico por volta de 12h45 e que três horas depois ela avisou que o procedimento estava atrasado. O taxista disse que esperou a bancária por onze horas e meia, mas que ela não saiu.
Contou também que Denis pagou R$ 300 pela corrida e pelo tempo de espera. Denis falou que não se lembrava de ter conversado com o taxista. “Eu nem me recordo de ter falado isso com o paciente, com o taxista, porque eu nem conversei com ele”, alegou o médico.
Lilian Calixto gostava muito de viajar com o marido, o empresário Osmar Jamberci, com quem estava há 19 anos
ARQUIVO PESSOAL/FACEBOOK

Homem tenta assaltar mulheres em lanchonete e é detido pelas vítimas em Montes Claros

Segundo a PM, asmulheres perceberam que o criminoso não estava armado e o agrediram; ocorrência foi registrada no Bairro Planalto. Um homem de 21 anos foi preso após uma tentativa de assalto em Montes Claros, nessa quinta-feira (19). Segundo a Polícia Militar, ele simulou estar armado e abordou três mulheres, de 29, 32 e 39 anos em uma lanchonete no Bairro Planalto. Ao perceberem que o homem não estava com uma arma, as vítimas o agrediram e conseguiram detê-lo com ajuda de outras pessoas que estavam no local.
Elas seguraram o homem até a chegada de uma viatura. Segundo a PM, antes de ser levado para a delegacia o criminoso recebeu atendimento no hospital porque sofreu algumas escoriações. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil. A PM informou que o homem tem passagens pela polícia.