Pais denunciam que foto de filho morto é usada por desconhecidos para pedir dinheiro em semáforo, em Goiânia


Menino tinha hidrocefalia e faleceu quando tinha 9 meses. Casal diz que imagem foi retirada de uma campanha que eles fizeram na internet. Mulher é suspeita de aplicar golpes em semáforo pedindo ajuda para criança que morreu
Os pais de um bebê com hidrocefalia, que morreu em fevereiro, denunciaram à Polícia Civil que a foto dele está sendo usada por um casal de desconhecidos para sensibilizar motoristas e pedir dinheiro nos semáforos de Goiânia. A corporação já conseguiu identificar uma das pessoas que estava usando a imagem e a intimou a prestar esclarecimentos.
A representante comercial Jennifer Marques Freitas Goulart disse que o filho, Bryan Felipe, nasceu com hidrocefalia. Ele foi o segundo filho que a mulher perdeu por problemas de saúde. Para tentar engravidar e evitar que o novo filho também tenha problemas, é necessário uma fertilização artificial e ela fez uma campanha na internet para arrecadar dinheiro. Jennifer acredita que foi por meio dessa campanha na internet que o casal conseguiu a foto de Bryan.
No sábado (21), o padrinho da criança estava passando pelo Jardim Nova Esperança de carro quando viu um casal com a foto da criança na mão e pedindo dinheiro. “Era um cartaz enorme pedindo ajuda como se ele estivesse vivo como se fosse parente. Falava que já tinham arrecadado uma quantia em dinheiro, só que ainda não era o suficiente”, disse.
Quando o padrinho foi questionar o caso, o casal fugiu. A mãe do menino não conhece as pessoas que usaram a imagem. “Na hora foi um susto. Ele foi perguntar o que estava acontecendo, mas o sinal abriu e ele teve que seguir. Nós voltamos depois ao local e eles não estavam mais”, disse.
Indignados, os pais procuraram a polícia. “O casal registrou a ocorrência e agora estamos investigando. Já sabemos quem é a mulher que estava no semáforo e ela já foi intimada para comparecer à delegacia e dar suas explicações”, disse o delegado Jacó Machado das Chagas.
Bryan Felipe nasceu com microfecalia e morreu em decorrência do problema, em Goiânia, Goiás
Reprodução/TV Anhanguera
O delegado explicou ainda que a contravenção penal pela qual o casal que usou a foto da criança poderia ser autuado é mendicância, mas o artigo foi retirado em 2009. Porém, os motoristas que deram dinheiro e se sentiram enganados podem procurar a polícia e, nesse caso, eles responderiam por estelionato.
Diante dessa situação, o que fica é a revolta dos pais. “É uma sensação muito ruim, ficamos muito triste porque ainda sofremos com a perda dele. Quando a gente descobriu que tinha alguém usando a imagem dele para pedir dinheiro para beneficiar ela mesma, ficamos muito nervosos”, disse o pai do Bryan, Fernando Gonçalves.
Ela é muito desumana, não tem coração nenhuma. Ela não está preocupada com a dor dos pais, completou.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.