Oswaldo Montenegro perpetua trilha sonora de ‘Mayã’, musical autoral de 1989, em álbum inédito


♪ Na discografia de Oswaldo Montenegro, os álbuns tradicionais com composições inéditas sempre foram alternados com os registros de trilha sonoras dos espetáculos musicais criados pelo artista para a cena teatral.
Disco lançado na sexta-feira, 21 de maio, em edição independente do artista distribuída via ONErpm, Mayã – Uma ideia de paz – álbum apresentado com a ênfase de ser inédito na obra fonográfica do cantor, compositor e músico carioca – se enquadra no perfil teatral.
De fato, as gravações são inéditas. Mas trata-se do registro fonográfico de dez músicas já antigas que compuseram a trilha sonora do musical Mayã – Uma ideia de paz, espetáculo escrito por Montenegro com Raique Macau (Raimundo Costa) em 1989 e estreado na cidade do Rio de Janeiro (RJ) neste mesmo ano de 1989, com base na dança e na música, tendo sido remontado em 1991 na cidade de São Paulo (SP) com mais foco na narrativa teatral feita em forma de poesia.
O espetáculo conta a história da personagem-título Mayã, sobrevivente de povo pacífico de tribo milenar dizimada por aldeias vizinhas.
Capa do álbum ‘Mayã – Uma ideia de paz’, de Oswaldo Montenegro
Divulgação
Com dez temas alocados em nove faixas, o álbum com a trilha sonora de Mayã – Uma ideia de paz perpetua músicas como Cigana, Coração de todo mundo, Goromaryê, Procurando Deus, Relax e Tempo das águas.
Esses temas foram gravados para o disco pelos músicos Alexandre Meu Rei (violão, guitarra e baixo), Caique Vandera (sanfona, piano e teclados), Lui Coimbra (violoncelo), Madalena Salles (flauta), Milton Guedes (gaita e assovio), Pedro Mamede (bateria e percussão), Sergio Chiavazzoli (bandolim) e o próprio Montenegro, que toca violão, piano, teclados e triângulo, além de ter cantado no disco com o reforço vocal de Eduardo Canto e Zé Alexanddre.