OMS pede a países que aceitem viajantes imunizados com vacinas contra Covid aprovadas pela entidade


Até o momento, 6 vacinas foram aprovadas para uso emergencial pela agência de saúde das Nações Unidas. Entre elas, todas as quatro usadas no PNI brasileiro: AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer e Janssen. Lote de vacinas contra a Covid-19 da Covax Facility, aliança mundial comandada pela OMS, chega a Abidjan, na Costa do Marfim. em 25 de fevereiro de 2021. País é o 2º do mundo a receber doses da Covax, depois de Gana
Diomande Ble Blonde/AP
A Aliança Covax, coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pediu nesta quinta-feira (1º) que os países que planejam uma reabertura aceitem a entrada de viajantes que receberam a imunização completa com alguma das seis vacinas aprovadas pela entidade.
A recomendação, se aprovada por governos regionais, facilitaria a circulação de brasileiros na União Europeia que faz uso de um Certificado Digital Covid (CDC), ou “passaporte da imunidade”, uma vez que todas as vacinas usadas no Programa Nacional de Imunização (PNI) passam pelo crivo da OMS.
LEIA TAMBÉM:
Em São Bernardo do Campo, quem se recusar a tomar a vacina contra Covid disponível será colocado no fim da fila
Vacina não é vinho nem cerveja: veja 5 motivos para não escolher qual delas tomar contra a Covid-19
Na quarta-feira (30), a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse em entrevista coletiva que o governo de Joe Biden não pretende estabelecer restrições a turistas pelo tipo de vacina tomada. No entanto, os EUA seguem com bloqueios nas fronteiras para viajantes oriundos de zonas de risco sanitário.
Foram autorizadas para uso emergencial, pela OMS, as vacinas:
Pfizer/BioNTech
Oxford/AstraZeneca (lotes da Índia e Europa)
Janssen (Johnson & Johnson)
Moderna
Sinopharm
Sinovac (CoronaVac)
Volta de turistas à Europa
Representantes dos 27 países da União Europeia (UE) aprovaram em meados de junho a entrada de turistas dos Estados Unidos e de mais cinco países no bloco europeu – o Brasil ficou de fora da lista.
A medida vale para viagens não essenciais e inclusive para cidadãos que não estão completamente vacinados contra a Covid-19.
Além dos EUA, serão beneficiados cidadãos de Taiwan, Sérvia, Macedônia do Norte, Albânia e Líbano. Macau e Hong Kong, regiões administrativas da China, serão incluídas se houver reciprocidade.
A decisão prevê, no entanto, que os turistas poderão ser submetidos a medidas adicionais, como testes de laboratório ou quarentenas, no desembarque em solo europeu.
A lista não inclui nenhum país da América Latina. Atualmente, apenas oito nações não têm restrições: Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura e Tailândia.
Começa a valer o passaporte digital que permite viagens sem restrições durante a pandemia nos países da União Europeia
Verão europeu e turismo
Com a chegada do verão no hemisfério norte e a temporada turística na Europa, os países do bloco se mobilizam para permitir o retorno de pelo menos uma parte dos turistas estrangeiros, como uma medida para tentar estimular a recuperação da economia.
Com a pandemia, a União Europeia fechou suas fronteiras externas em março de 2020 para viagens não essenciais, mas mantém uma lista de países cujos cidadãos podem entrar como turistas.
Para ser incluído na lista, um país deve ter registrado menos de 75 novos casos de Covid-19 para cada 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores.