OMS apoia combate no Facebook à desinformação sobre antivacinas 

OMS apoia o compromisso do Facebook para combater fake news sobre vacinas

OMS apoia o compromisso do Facebook para combater fake news sobre vacinas

REUTERS/Kenny Katombe

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quinta-feira (05) que apoia o compromisso do Facebook de direcionar os usuários que procuram informações sobre vacinas nem suas plataformas a fatos, e não a informações erradas.

Após vários meses de conversas com a OMS, o Facebook prometeu direcionar seus usuários para “informações precisas e confiáveis sobre vacinas em vários idiomas” no site da OMS, disse a agência de saúde das Nações Unidas, “para garantir que mensagens vitais de saúde cheguem às pessoas que precisam delas”.

“As principais organizações digitais têm responsabilidade com seus usuários – para garantir que eles possam acessar fatos sobre vacinas e saúde”, afirmou a OMS em comunicado.

“A desinformação sobre vacinas é uma grande ameaça à saúde global que pode reverter décadas de progresso feito no combate a doenças evitáveis”, afirmou o documento. Doenças infecciosas mortais, como sarampo, difteria, hepatite, poliomielite, cólera e febre amarela, podem ser evitadas com a imunização.

A OMS diz que as vacinas são uma das inovações mais poderosas da história da saúde pública e estima que elas salvam pelo menos 2 milhões de vidas por ano em todo o mundo.

Apoiando o compromisso do Facebook, a OMS disse que esses movimentos de mídia social “devem ser acompanhados por medidas tangíveis dos governos e do setor da saúde” para promover a confiança na vacinação e responder às necessidades e preocupações dos pais.