Olimpíadas: Veja looks mais belos e esquisitos da cerimônia, de chinelo brasileiro a ‘Pac-man’ italiano


Carnavalesco Milton Cunha e estilista Marcos Lacerda comentaram. Camisa estampada e chinelos brasileiros brilharam e uniforme italiano de Giorgio Armani não agradou tanto. As delegações que desfilaram na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio nesta sexta (23) usavam uniformes muito diferentes, que refletiam a diversidade cultural de cada país.
Cadê o Pikachu? Ausência de personagem na abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio gera memes
Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio ‘trouxe mensagem de continuidade da humanidade’, diz especialista
Seja com trajes tradicionais e coloridos ou com conjuntos mais sóbrios e moderninhos, houve erros e acertos nas roupas escolhidas por cada país. Abaixo, o G1 fez uma lista do que ficou bonito, diferentão, meigo e esquisito durante a cerimônia.
O carnavalesco Milton Cunha e o estilista Marcos Lacerda comentaram alguns dos looks que mais os impressionaram.
Brasil
Brasil na abertura das Olimpíadas
Globoesporte.com
O Brasil foi um espetáculo em vários tons de verde, amarelo e azul. A estampa homenageia a fauna e a flora brasileiras e japonesas. Os desenhos representam peixes amazônicos e se inspiram em traços tradicionais de desenhos da carpa japonesa.
Para coroar, a delegação entrou de chinelo – e até sambou durante a passagem.

“A temática foi muito legal. Apesar de todo ano de Olimpíada pensarmos em algo tropical, o verde é muito atual, é uma cor que estamos vendo em séries e minisséries, é uma cor em alta. O chinelo e a bermuda mostram nossa brasilidade, além de ser uma roupa muito usável”, diz o estilista Marcos Lacerda.
Camarões
Delegação de Camarões na abertura das Olímpiadas de Tóquio
Reuters/Mike Blake
A delegação de Camarão foi um deslumbre. Com trajes tradicionais, eles desfilaram em cores preta, rosa, amarela, azul, verde e vermelha. Além disso, passaram com um acessório inusitado: bolsas.
“Destaque para a delegação de Camarões com bolsas de feira, a única delegação com bolsa. o que será que eles levaram dentro?”, analisa o carnavalesco Milton Cunha.
Initial plugin text
Itália
Delegação da Itália na abertura das Olímpiadas de Tóquio
Hannah McKay/Pool/AFP
O uniforme da Itália foi desenhado pelo super estilista Giorgio Armani: branco da cabeça aos pés, com as cores da bandeira da Itália representadas em um círculo tricolor. Além disso, o hino da Itália estava estampado na pate de dentro dos casacos e golas polo.
“Quando a Itália apareceu, eu pensei que era aquele boneco come-come do computador de antigamente, mas só que com a boca pra cima, comendo tudo. É ruim porque protubera as barrigas. Então chama toda a atenção para o ventre. É um problema esse figurino só para magérrimos”, diz Milton Cunha.
O calibre não impediu que muita gente no Twitter risse e comparasse o desenho da camiseta com o Pacman (assim como Milton) ou mesmo uma pizza marguerita.
Initial plugin text
Cazaquistão
Delegação do Cazaquistão
Mike Blake / Reuters
“Outra (que me chamou atenção) é aquela mulher de longo vestida para baile. A estampa era linda, mas o tecido era mole, uma coisa meio ‘My Fair Lady’ (risos). E ela ali desfilando com aquele longo, aquele rabo de sereia dela Tava muito engraçado a My Fair Lady, muito”, diz Milton Cunha.
México
Delegação do México na cerimônia de abertura das Olímpiadas
AP Photo/David J. Phillip
A delegação do México uniu simplicidade e elegância. Os terninhos eram azul marinho, mas os acessórios e detalhes coloridos na gola fizeram a diferença. Para fechar, as meninas e mulheres entraram com coroas de flores na cabeça, no estilo da artista Frida Kahlo.
“O que eu amo no México é que não abandonam as flores típicas deles. Achei lindo o paletó com somente uma lateral com elas. Isso traz vida ao look que é formal, mas elegante. Esse detalhe da peça faz toda a diferença”, comenta Lacerda.
Bermudas
Delegação de Bermudas na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio
REUTERS/Mike Blake
O país honrou o nome e fez sua delegação entrar com belas bermudas rosa. O resto do uniforme fazia um contraste formal à alegria do trocadilho: blazer, gravata e meias azul-marinho com camisa branca.
“Eu achei que eles foram irreverentes e inovadores porque usaram uma cor que não está na bandeira deles, o rosa na máscara e nas bermudas. Achei muito legal que usaram sapato, mas me remete às escolhas inglesas, o padrão de uniforme que é um clássico em outros países”, diz Marcos Lacerda.
Ilhas Virgens Britânicas
Delegação das Ilhas Virgens Britânicas na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio
Martin BUREAU / AFP
O destaque da delegação das Ilhas Virgens Britânicas foi o conjuntinho usado pelas mulheres, extremamente charmoso: blusa de manga frufru, ombros de fora e abertura rodada na cintura.
“Eu adorei Ilhas Virgens, era uma coisa meio baianinha branca, só que tinha uma pala que subia pelo pescoço e dava um laço aqui atrás. Então eu adorei esse figurino com um pano que amarrava no pescoço”, comentou Cunha.
Colômbia
Delegação da Colômbia na abertura das Olímpiadas de Tóquio
Martin Bureau/AFP
“As cores da Colômbia estão lindas, mas poderiam ser mais inovadores. Estão com essa peça pesada, que é tradicional, mas pode dificultar a mobilidade”, avalia Lacerda.
Nova Zelândia
Toda trabalhada no pretinho básico, a Nova Zelândia se destacou por ser sóbria demais, sem alegria.
Delegação da Nova Zelândia na abertura das Olímpiadas de Tóquio
Ben Stansall /AFP