Obesidade ultrapassa fumo como principal causa de quatro tipos de câncer no Reino Unido, indica estudo

Enquanto as taxas de tabagismo estão diminuindo, as de obesidade estão aumentando

Enquanto as taxas de tabagismo estão diminuindo, as de obesidade estão aumentando
Getty Images / BBC NEWS BRASIL

A obesidade causa mais casos de quatro tipos de câncer comuns no Reino Unido do que fumar, de acordo com Cancer Research UK (CRUK), organização sem fins lucrativos dedicada ao combate à doença.

A entidade afirma ser hoje mais provável que câncer de intestino, rins, ovários e fígado tenham sido causados por excesso de peso do que pelo tabagismo.

Hoje, no Reino Unido, o número de pessoas obesas superam o de fumantes em dois para um.

Mas sua nova campanha de outdoors (na imagem abaixo) em que destaca o risco de câncer por obesidade tem sido criticada por estimular a gordofobia.

 

Campanha foi criticada porque estimularia a gordofobia

Campanha foi criticada porque estimularia a gordofobia
BBC NEWS BRASIL

Não é a primeira vez que a CRUK é acusada de promover esse tipo de preconceito. Em fevereiro do ano passado, a comediante e ativista Sofie Hagen criticou outra ação desta organização que conscientizava para esse risco.

“O que sua campanha faz é muito prejudicial. A sociedade ver pessoas gordas como algo negativo mata mais do que câncer”, escreveu ela no Twitter à época.

A CRUK diz que não se trata de culpar as pessoas por seu excesso de peso e também não está sugerindo que o tabagismo e a obesidade sejam equiparáveis ​​em termos de risco de câncer.

Ambos aumentam o risco de uma pessoa de ter a doença, mas fumar continua a ser a principal causa evitável de câncer no Reino Unido. Obesidade vem em segundo lugar, diz CRUK.

Excesso de peso x tabagismo

O sobrepeso ou obesidade causa cerca de 22,8 mil novos casos de câncer por ano, enquanto o tabagismo está por trás de 54,3 mil. No entanto, nos quatro tipos de câncer destacados, o excesso de peso é uma razão mais frequente.

Dos cerca de 42 mil novos casos de câncer de intestino, a obesidade e o sobrepeso são a causa de 4.800, enquanto o tabagismo responde por 2.900. Nos rins, de um total de 12,9 mil, o excesso de peso causa 2.900, enquanto o fumo, 1.600.

No fígado, a obesidade ou excesso de peso são a causa de 1.300 dos 5.900 novos casos, enquanto o tabagismo estava por trás de 1.200. E, nos ovários, entre os 7.500 casos, o excesso de peso causa 490 casos por ano, enquanto fumar, 25.

No Brasil, estima-se que pelo menos 15 mil casos de câncer por ano no Brasil – ou 3,8% do total – poderiam ser evitados com a redução do excesso de peso e da obesidade.

De acordo com um estudo epidemiológico feito pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em colaboração com a Universidade Harvard, nos Estados Unidos, esse número deve crescer até 2025 para 29 mil, ou 4,6% dos novos casos da doença no país.

Mas, enquanto as taxas de tabagismo estão diminuindo, as de obesidade estão aumentando, o que especialistas em saúde dizem ser preocupante.

Hoje, cerca de um terço dos adultos do Reino Unido são obesos, enquanto 15% são fumantes. Entre os brasileiros, 9,3% fumam, de acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), enquanto 18,9% estão obesos.

Como o excesso de peso aumenta o risco de câncer

Embora a ligação entre obesidade e câncer esteja bem estabelecida, os mecanismos biológicos por trás dela ainda não são totalmente compreendidos.

 

Embora a ligação entre excesso de peso e câncer esteja bem estabelecida, os mecanismos biológicos por trás disso ainda não são totalmente compreendidos

Embora a ligação entre excesso de peso e câncer esteja bem estabelecida, os mecanismos biológicos por trás disso ainda não são totalmente compreendidos
Getty Images / BBC NEWS BRASIL

Células de gordura produzem hormônios extras e substâncias químicas conhecidas como fatores de crescimento que levam as células do corpo a se dividirem com mais frequência. Isso aumenta a chance de células cancerígenas serem produzidas.

Estar acima do peso ou obeso não significa que uma pessoa desenvolverá câncer, mas aumenta o risco.

De acordo com a CRUK, 13 diferentes tipos de câncer estão ligados à obesidade: mama (em mulheres após a menopausa), intestino, pâncreas, esôfago, fígado, rins, parte superior do estômago, vesícula biliar, útero, ovário, tireoide, mieloma múltiplo (sangue) e meningioma (cérebro).

A ligação entre obesidade e câncer foi constatada apenas em adultos, embora um peso saudável também seja importante para a saúde de crianças.

Linda Bauld, especialista em prevenção da CRUK, diz que o governo deve fazer mais para combater o problema da obesidade no Reino Unido. O governo demorou a restringir os anúncios de comida e bebida considerada não saudável, disse a Associação Médica Britânica (AMB).

“Embora estejamos muito conscientes dos riscos para a saúde associados ao tabagismo, menos esforços foram feitos para combater a obesidade, que é agora uma das principais causas de câncer”, disse a AMB.

O diretor-executivo do sistema de saúde pública, o NHS, na Inglaterra, Simon Stevens, disse: “O NHS não pode vencer a batalha contra a obesidade por conta própria. Famílias, empresas de alimentos e governo precisam desempenhar seu papel se quisermos evitar copiar o exemplo prejudicial e caro da América”.