O que fazer quando o número de telefone for roubado e redes sociais forem invadidas?


Pacotão do blog Segurança Digital também responde dúvida sobre conexões Wi-Fi. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.) vá até o fim da reportagem e utilize o espaço de comentários ou envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores no pacotão, às quintas-feiras.
Roubo de número de telefone
Há mais ou menos 15 dias tive minhas redes sociais invadidas a partir do número de telefone que eu usava para me conectar ao WhatsApp. A partir desse momento, começaram a espalhar todos os prints de mensagens do Facebook e Instagram e também estou sofrendo ameaças. Fui à delegacia e só consegui fazer um boletim de ocorrência. É possível que se passaram por mim para transferir meu cadastro para outro chip e com isso conseguiram as invasões. As únicas informações que tenho são as seguintes:
Recebi um e-mail no dia que alteraram minha senha do Facebook. O e-mail dizia: “Sua senha do Facebook foi redefinida usando o número de telefone +55XXXXXXXX (número no qual era meu e foi hackeado) em, Domingo, 31 de março de 2019 às 01:41.
Dispositivo: ZenFone 4 Selfie
Endereço IP: 201.x.x.x
Localização: Nova Venécia, Espírito Santo, BR – Rafael (os dados de IP e telefone foram editados pela coluna)
Rafael, você deve levar todas as informações que você possui à polícia. Se ainda não o fez, acrescente os dados ao seu boletim.
Não só o endereço IP pode ser rastreado (embora os criminosos possam ter utilizado um IP de terceiros para cometer o crime), mas as autoridades também podem rastrear o local onde o chip foi ativado. Afinal, se o celular foi utilizado para receber SMS, ele em algum momento esteve conectado à rede da operadora e é possível saber, aproximadamente, onde esse telefone estava. Dependendo do que a polícia descobrir sobre o endereço IP, algo poderá ser elucidado.
De todo modo, o que você deve fazer é tentar reaver o seu número de telefone o quanto antes e procurar recuperar as contas que foram roubadas. Embora isso seja difícil em alguns casos, a maioria dos serviços web possui um procedimento de recuperação de conta específico para os casos de invasão. Eles sabem que esse tipo de situação acontece. Porém, quanto mais tempo passar após o ocorrido, mais difícil fica o procedimento.
Veja aqui o procedimento para recuperar sua conta Google e aqui as informações relativas ao Facebook.
Fora isso, seu único recurso é procurar um advogado para entrar com uma ação na Justiça e pedir você mesmo as informações que podem ter relação ao caso.
Acesso a dados após conexão ao Wi-Fi
Após ver a matéria sobre invasão de celular através do Wi-Fi, gostaria de saber o seguinte:
Eu conectei meu celular na rede Wi-Fi, então o administrador tem acesso algumas informações minhas. Mas, recentemente, a rede Wi-Fi foi alterada (apenas o nome o servidor continua o mesmo). Com essa alteração, o administrador perde o acesso ao meu celular ou só de ter conectado uma vez ainda tem acesso ao celular? – Caíque Rezende
Seria mais fácil dar uma resposta direta a essa pergunta se você soubesse ou tivesse mencionado com qual informação você se preocupa, Caíque.
Um administrador de uma rede Wi-Fi terá somente informações superficiais sobre o seu aparelho assim que você se conecta à rede. O endereço MAC do seu telefone, por exemplo, pode revelar o fabricante ou o modelo do celular, mas apenas isso. Outros dados só ficarão disponíveis para o administrador da rede se você utilizar a rede dele, mas a rede Wi-Fi não “mantém” nenhum acesso ou controle ao seu telefone só porque você alguma vez se conectou.
Ou seja, se você não se conectar novamente a uma rede Wi-Fi, seu telefone não vai “vazar” nenhuma informação para aquela rede, mesmo que você tenha se conectado a ela no passado.
Além disso, aplicativos bancários e redes sociais só aceitam acessar as versões seguras dos serviços. Essas versões são criptografadas e nem mesmo o administrador de uma rede (seja Wi-Fi ou cabeada, no caso de um notebook) poderá ver o conteúdo da transmissão e ler suas mensagens ou obter suas senhas, por exemplo.
É claro que, se você já acessou a rede Wi-Fi alguma vez, seu celular pode acabar se conectando automaticamente em outras oportunidades. Dependendo do que for acessado, alguma informação ficará exposta. Mas isso pode ser evitado.
No painel de configuração de Wi-Fi do seu telefone, procure a opção de “Redes salvas” ou equivalente. Lá, você pode tocar sobre uma rede específica e pedir para que o sistema se esqueça dela. Fazendo isso, você evita que o celular volte a se conectar ela.
Tela de configuração do Wi-Fi do celular pode listar todas as redes Wi-Fi já acessadas pelo aparelho, permitindo que você escolha se alguma rede deve ser ‘esquecida’
Reprodução
Como no caso citado a rede já mudou de nome, é improvável que o celular volte a se conectar a ela, porque o sistema não deve reconhecer a rede. Mas, se você quiser garantir, basta configurar o aparelho para se esquecer da rede, o que eliminará totalmente o risco de conexões acidentais.
O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!