O Assunto #186: O uso de UTIs particulares pelo SUS


A falta de leitos de tratamento intensivo para pacientes com Covid-19 já é uma realidade na rede pública de vários Estados. Uma opção das autoridades é recorrer à rede particular. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o médico Gonzalo Vecina, ex-diretor da Anvisa, ex-secretário do Ministério da Saúde e que esteve à frente do Hospital Sírio Libanês. Vecina fala sobre a rede particular requisitando vagas do SUS, de como é a fila única de UTIs e como garantir um atendimento igualitário a pacientes durante a pandemia. O médico comenta também a demissão de funcionários da rede particular no meio da crise do novo coronavírus. Participa também a repórter da Globo Graziela Azevedo, que está na linha de frente da cobertura sobre a Covid-19 em São Paulo. Ela descreve o cenário atual como “o Titanic afundando, com a confusão das pessoas tentando se salvar”. Você pode ouvir O Assunto no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.
Conforme os números da Covid-19 aumentam em todo o país, o Sistema Único de Saúde (SUS) é cada vez mais colocado sob pressão. Sobretudo diante da exigência do uso de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento da doença.
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (DataSUS), menos da metade dos leitos de UTIs do país pertencem ao SUS. Os dados, referentes a dezembro de 2019, indicam que o país possuía 31.913 UTIs, das quais 15.227 pertenciam à rede pública (48%). Mas, somente 23% da população, cerca de 47 milhões, contavam com plano de saúde à época.
Para tentar reduzir a desigualdade no atendimento de brasileiros diante da pandemia, uma das propostas é a criação de uma “fila única” de leitos de UTI que somam rede pública e rede particular.
Em São Paulo, a Prefeitura anunciou na última sexta-feira (8) que o município vai alugar leitos de UTI de 11 hospitais particulares para receber pacientes infectados pelo novo coronavírus. A administração municipal pagará R$ 2,1 mil por dia por cada leito ocupado.
Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o médico Gonzalo Vecina, ex-diretor da Anvisa, ex-secretário do Ministério da Saúde e que esteve à frente do Hospital Sírio Libanês. Vecina fala sobre a rede particular requisitando vagas do SUS, de como é a fila única de UTIs e como garantir um atendimento igualitário a pacientes durante a pandemia. Participa também a repórter da Globo Graziela Azevedo, que está na linha de frente da cobertura sobre a Covid-19 em São Paulo. Ela descreve o cenário atual como “o Titanic afundando, com a confusão das pessoas tentando se salvar”.
O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Gessyca Rocha, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Nesta semana: Vivian Souza. Apresentação: Renata Lo Prete.
Logo podcast O Assunto – matéria
Comunicação/Globo
O que são podcasts?
Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça.
Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia…
Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça – e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.
Initial plugin text