Novos negócios surgem dentro de contêineres e fazem sucesso

Eles são mais baratos e mais versáteis e podem ser adaptados para cada tipo de empresa. Reportagem exibida originalmente em 29/07/2018. Novos negócios surgem dentro de contêineres e fazem sucesso
Sair da caixa é uma expressão usada para mostrar que um negócio precisa se reinventar, inovar, sair da forma tradicional. Mas tem muito empresário fazendo o contrário: montando negócios dentro de uma caixa e inovando, de uma forma bem criativa.
O contêiner tem uma vida útil de 10 a 20 anos, dependendo da carga que transporta. Depois disso, pode ser totalmente adequado para outros usos, como por exemplo, na construção civil. Uma solução sustentável e de baixo custo, que vem fazendo a cabeça de muitos empresários.
Em uma avenida em São Paulo, que ostenta prédios modernos, surge um complexo montado como um jogo de armar, um grande shopping de contêineres. Renato Paiva é um dos sócios e administradores do espaço, que funciona no sistema pop up, ou seja, com serviço temporário. “A construção é mais rápida, sustentável, o custo benefício é muito melhor. Então, realmente, a solução do contêiner hoje em termos de construção civil se torna muito viável por todos esses detalhes”, explica o empresário.
Gabriel Gaiarsa é dono de três hamburguerias montadas do jeito tradicional, com tijolo e cimento. Agora, vai abrir uma unidade no shopping de contêiner: “Eu diria que aqui eu gasto 1/10 do valor de abrir uma loja de rua, exatamente por eu não ter que fazer toda a obra civil. Não tenho que me preocupar com instalação elétrica, hidráulica, tudo o mais, isso já tá tudo pronto”.
O shopping foi montado em um terreno alugado de 750 metros quadrados. São 36 contêineres, oito já foram ocupados por restaurantes. A ideia é ir abrindo aos poucos, o chamado soft opening, uma forma de testar a operação e dar espaço para serviços que a clientela procura.
O dono do contêiner paga IPTU como qualquer comércio. Existem cidades em que esse tipo de construção recebe descontos no imposto, por ela ser sustentável. Renato calcula que o investimento total, incluindo estrutura, marketing e lançamento, bateu a casa dos R$ 5 milhões. A expectativa é que o local, quando totalmente ocupado, movimente R$ 7 milhões por mês.
Diferente dos shoppings, o faturamento de Renato e do sócio não vem do aluguel dos espaços. “A grande maioria dos negócios que a gente traz aqui é percentual. A gente é participante da operação, nós temos um percentual do faturamento dele”, explica.
Pit stop para ciclistas
Também em São Paulo, um outro empreendimento foi feito em um container, só que com investimento bem menor. É a prova de que dá para apostar nessa tendência mesmo com pouco dinheiro. Os irmãos Rodrigo e Renato Mesquita montaram um pit stop para ciclistas dentro de três contêineres. O investimento total foi de R$ 15 mil.
“Percebi ao conversar com ciclistas que teria que fazer algo com custo baixo. Qualidade, porém, com custo baixo. E daí surgiu a ideia do container. Quando você compara com obras de alvenaria é muito mais barato e exige baixo investimento”, conta Rodrigo.
Os contêineres são alugados e ficam dentro de um estacionamento, ao lado de uma ciclovia. Os empresários pagam uma taxa de aluguel. Para abrir a porta dos contêineres, o cliente tem que baixar o app da chave digital para poder usar o espaço.
Em nove meses de funcionamento, 100 pessoas já se cadastraram no app. Com o serviço, Felipe, que trabalha perto do local, resolveu aposentar o carro e usar a bike. Ele paga o pacote completo, para usar armário, bicicletário e o banho, por R$ 250 por mês. Mas tem também preço para usuário avulso.
Os irmãos não revelam o faturamento. O serviço tem seguro e câmeras externas para proteger os clientes. Para o futuro, a ideia é atrair investidores e montar rede não só em São Paulo, mas em outras cidades.
Oportunidades
Uma empresa perto do porto de Santos, na cidade de São Vicente, litoral de São Paulo, se especializou em fornecer o contêiner para empresários.
Ernandes Crispim dos Santos criou a empresa em 1998 para fornecer contêiner para canteiro de obras. Em 2000, ampliou o negócio. Hoje, ele atende também pessoas que querem montar casas, escritórios, lojas, bares. Saiba mais sobre o negócio no vídeo abaixo:
Empresa se especializa em fornecer contêiner para novos negócios