Novo Ensino Médio: escolas do DF se preparam para implementar novo modelo em 2022


Reforma começa pelo 1° ano e será expandida gradativamente, diz Secretaria de Educação. Conforme pasta, comitê desenvolve modelo que deve ser finalizado e avaliado apenas em 2025. Cadeira de escola no DF
Eduardo Paiva / TV Globo
As escolas do Distrito Federal se preparam para implementar o novo ensino médio, que entra em vigor a partir de 2022, em todo país. A reforma muda a carga horária e o conteúdo oferecido aos estudantes, e o currículo tem dois blocos, com disciplinas obrigatórias e optativas, que são escolhidas por alunos (veja detalhes abaixo).
O novo ensino médio foi aprovado em 2017 por meio de uma lei federal. Em Brasília, a capacitação dos professores começou em 2019 e, segundo a Secretaria de Educação, um comitê foi montado para desenvolver o modelo, que deve ser finalizado e avaliado apenas em 2025.
LEIA TAMBÉM:
CONTRASTE: novo ensino médio começa em 2022 de forma desigual pelo país
REFORMA: veja o que muda nas escolas do DF, a partir de 2022
Projeto piloto
Em 2020, o DF iniciou a reforma em cinco unidades de ensino, que serviram como piloto do projeto e para que os educadores se adaptem. Atualmente, 12 escolas de Brasília funcionam com o novo modelo.
A diretora de ensino médio da Secretaria de Educação, Juliana Bottechia, conta que os professores passam por uma “formação continuada” para que sejam capacitados para atuar já a partir de 2022. Porém, de acordo com ela, o estudo sobre o modelo não será interrompido.
“A formação continuada não acaba. Depois, vai para outra fase”, diz Juliana Bottechia.
A diretora aponta que as escolas também estão sendo adequadas para o novo ensino médio. Segundo ela, “cada unidade tem projeto político e pedagógico próprio, que será adaptado”.
Além disso, também pode haver mudanças na infraestrutura das unidades, diz Juliana. “A escola pode precisar de alguma adequação como no laboratório, por exemplo, ou em relação à pandemia [de Covid-19]”.
Implementação
Estudante escreve em caderno
TV Globo / Reprodução
No Distrito Federal, o novo ensino médio será implementado, inicialmente, para os alunos da primeira etapa. Em seguida, os outros anos passam pelas adequações à medida.
2022
Novo ensino médio implementado para o 1° ano
2023
Modelo expandido para 1° e 2° ano
Reforma atinge 50% das unidades que dão aulas noturnas
2024
Novo ensino médio contempla todos os anos das etapas finais do período escolar
2025
Modelo será avaliado institucionalmente
A diretora de ensino médio da Secretaria de Educação do DF, Juliana Bottechia, considera que a reforma traz vantagens para os alunos. “Como o curso vai ser dividido em semestres, ele não precisará passar por uma reprovação geral, como acontece no modelo atual”, diz ela.
A gestora diz ainda que os estudantes, apesar de precisarem cumprir disciplinas obrigatórias, também poderão optar por matérias que têm maior afinidade.
“A entrada é anual, mas o estudante faz uma organização semestral de estudo. A cada seis meses, ele pode fazer outras escolhas”, diz.
LEIA TAMBÉM
NOVO CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO: ‘Aluno pode ser atraído, mas problemas estruturais na escola permanecem’, dizem educadores
ESPECIALISTAS DIVERGEM: ‘Retrocesso para manter pobre como pobre’ ou ‘protagonismo dos jovens’
Em relação aos professores, Juliana afirma que o desafio de procurar a melhor forma de exercer a profissão é permanente, mas, para ela, “agora, será uma oportunidade dos educadores usarem a formação de uma forma prática na vida dos alunos”.
“Tem esse lado maravilhoso da gente procurar aprender mais do que a gente ensina”, diz a diretora.
Veja como vai funcionar
Novo Ensino Médio
Segundo a Secretaria de Educação do DF, as matérias escolhidas pelos estudantes compõem os itinerários formativos, divididos nos seguintes eixos:
Projeto de Vida
Língua Espanhola
Eletivas Orientadas
Trilha de Aprendizagem
Conforme a pasta, para que os estudantes possam se familiarizar com as diversas áreas do conhecimento, nos dois primeiros semestres, eles selecionarão cinco disciplinas que não constam do bloco de formação básica.
A partir do terceiro semestre, os alunos vão definir uma “Trilha de Aprendizagem” em uma das áreas do conhecimento, ou educação profissional e técnica.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.