No Acre, candidatos que fizeram Enem digital também elegem prova de matemática como a mais difícil


Candidatos responderam 90 questões da segunda prova do Enem Digital neste domingo (7) em 41 laboratórios de nove instituições do Acre. No primeiro domingo (31), apenas 402 candidatos compareceram. Ao todo, estado teve 1.154 inscrições. Candidatos resolveram 90 questões da segunda prova do Enem Digital neste domingo (7), em Rio Branco
Lidson Almeida/Rede Amazônica Acre
Os participantes do Acre aprovaram a versão digital do Exame Nacional do Ensino Médio Digital (Enem). O segundo dia de provas ocorreu neste domingo (7) e os inscritos fizeram o exame em 41 laboratórios de nove instituições de Rio Branco, capital do Acre. Assim como na versão impressa, os candidatos também elegeram a prova de matemática como a mais difícil.
Daniela Oliveira disse que achou a disciplina de matemática a mais difícil. Ela explicou que escolheu a versão digital já para evitar aglomerações e proliferação do novo coronavírus.
“Estava tudo ótimo, organizado, adequado. Na verdade, fiz para me testar e achei muito bom, melhor que o normal. Espero que continue assim”, afirmou.
No primeiro dia, domingo (31), apenas 402 dos 1.154 inscritos compareceram para fazer a prova, outros 752 candidatos inscritos não fizeram o exame.
Os portões dos locais de aplicação abriram às 9h30 (horário do Acre), fecharam às 11h e as provas começaram às 12h30. O término da aplicação deste domingo será às 16h30. Os candidatos resolveram 90 questões de ciências da natureza e matemática.
“Estava bem organizado. Achei melhor essa forma por causa da pandemia que a gente está, a gente não fica muito exposto passando as mãos em um canto e outro. Achei melhor, porque a situação não está boa”, contou o estudante Ítalo Menezes, de 23 anos.
O jovem fez a prova para tentar uma vaga nos cursos de agronomia ou medicina. Ele, que já trabalha em fazenda com o pai que é pecuarista, disse que achou a modalidade mais segura.
Menezes contou também que fez a prova em mais de uma hora e achou matemática a matéria mais difícil. “Pelos cálculos mais pesados, mas achei mais fácil biologia. Gastei de uma a uma hora e vinte minutos para fazer as questões”, destacou.
Italo Menezes, de 23 anos, vez o Enem pela segunda vez e disse aprova a nova modalidade
Lidson Almeida/Rede Amazônica Acre
Ausências
Anne Gabriely, de 23 anos, fez a prova digital do Enem para cursar direito. A preparação para o exame incluiu mais de uma hora de estudos, muita leitura e assistir jornais para ficar bem informada.
A jovem diz que sentiu falta de muitos candidatos no segundo dia de provas.
“Me dediquei, mas estava esperando os assuntos, achei boa. Não achei difícil, estava básico, caiu o que realmente estudei. Achei que seria mais fácil para leitura. Gostei bastante. Senti uma falta significativa [de outros candidatos], mas tem a pandemia e a gente até entende”, frisou.
Anne Gabriela pretende cursar direito e se dedicou para a prova deste domingo (7)
Lidson Almeida/Rede Amazônica Acre
Cuidados
Todos os participantes precisaram comparecer ao local de provas utilizando máscara para proteção contra a Covid-19. A máscara deveria cobrir totalmente o nariz e a boca do participante, desde à sua entrada até a saída do local de provas. Era ainda permitido levar máscaras reservas para troca durante a prova.
Os inscritos que apresentassem sintomas na véspera (após às 12h) ou no dia da prova não poderiam comparecer ao exame. Nesses casos, os participantes também poderiam solicitar a reaplicação. Em situações como essas, o sistema para recebimento da documentação comprobatória estará aberto após o fim da aplicação do Enem Digital, entre 8 e 12 de fevereiro, mesmo período para pedidos de participantes que se sentiram prejudicados por incidentes logísticos durante o exame. A reaplicação ocorrerá em provas impressas, independentemente da versão em que o participante estava inscrito (impressa ou digital).
O candidato também não poderia esquecer de levar um documento de identificação.
Abstenções
A primeira experiência de um Enem digital, que tem prazo de 5 anos para atingir 100% dos estudantes, teve um número alto de faltosos. Segundo balanço divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelas provas, a taxa de abstenção no Acre foi de 65,2%.
Dos 1.154 candidatos inscritos para fazer o Enem digital, em Rio Branco, 402 compareceram aos locais de prova. Ao todo, 752 candidatos inscritos não fizeram o exame.
A taxa de abstenções do exame na versão digital foi ainda maior que nos domingos anteriores, quando as provas foram impressas. No primeiro dia do Enem impresso no Acre, segundo o Inep, o índice de faltosos foi de 51,5% do total de 40.674 inscritos. Já no segundo dia, que ocorreu no último dia 24 de janeiro, a taxa de abstenção foi de 54,8%.
Enem digital
Por ser a versão piloto, as provas foram feitas apenas na capital acreana, Rio Branco, nos laboratórios de informática das seguintes instituições:
Escola Estadual Profª Heloísa Mourão Marques – bairro Aeroporto Velho;
Escola Estadual Profº Humberto Soares da Costa – bairro José Augusto;
Instituto de Educação Loureço Filho – bairro Vila Ivonete;
Centro Universitário U:Verse – antiga FAAO;
Centro Universitário Uninorte – bairro Jardim Europa;
Centro Universitário Estácio de Rio Branco – bairro da Paz;
Escola Estadual Padre Diogo Feijó – bairro Floresta;
Instituto Federal do Acre (Ifac) – Campus Rio Branco
Senai – Escola Cel. Auton Furtado – bairro Cadeia Velha
O cronograma seguiu o mesmo da versão impressa do exame. No primeiro domingo (31), foram aplicadas 45 questões objetivas de Linguagens e Códigos e 45 de Ciências Humanas, além da redação. A duração máxima para realização da prova foi de 5h30.
Apesar de o formato digital, a redação continuou manuscrita. Por isso, assim como na prova física, o candidato teve que levar caneta preta, de tubo transparente.
Veja PERGUNTAS E RESPOSTAS sobre o Enem digital
Medidas de segurança devido à pandemia
Segundo o Inep, as medidas de prevenção contra o novo coronavírus deveriam ser as mesmas para todos os lugares. Não houve planejamento especial para os locais que estivessem com aumento no número de casos.
Entre as medidas, estavam:
Uso obrigatório de máscaras para candidatos e aplicadores;
Disponibilização de álcool em gel nos locais de prova e nas salas (a quantidade total só será conhecida após a aplicação do exame);
Recomendação de distanciamento social no deslocamento até as salas de provas;
Identificação de candidatos do lado de fora das salas, para evitar aglomeração – haverá marcações no piso para ter distanciamento, caso haja fila;
Contratação de um número maior de salas: na edição de 2019 foram 140 mil locais de aplicação; agora serão 200 mil
Salas de provas com cerca de 50% da capacidade máxima;
Candidatos idosos, gestantes e lactantes ficarão em salas com 25% da capacidade máxima;
Higienização das salas de aulas, antes e depois do exame.
A retirada da máscara poderia ser feita, segundo o protocolo, para alimentação, ingestão de líquidos e troca do item. Candidatos ainda deveriam levar documento de identidade com foto e caneta de cor preta e corpo transparente.
Cronograma do Enem 2020
Provas impressas: 17 e 24 de janeiro
Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro
Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro
Resultados: a partir de 29 de março
Colaborou o repórter Lidson Almeida, da Rede Amazônica Acre.
VÍDEOS: G1 em 1 Minuto