Nissan anuncia corte de 12.500 empregos em todo o mundo


Montadora teve fraco desempenho em Estados Unidos e Europa, além de passar por crise após a prisão de Carlos Ghosn, ex-presidente da marca. Nissan anunciou nesta quinta-feira (25) o corte de 12.500 empregos em todo o mundo
Jae C. Hong/AP
A Nissan anunciou nesta quinta-feira (25) a demissão de 12.500 funcionários em todo o mundo. O corte chega depois da a empresa apresentar fraco desempenho nos Estados Unidos e Europa, além de enfrentar a crise causada pela prisão de Carlos Ghosn, ex-presidente da marca.
O presidente da Nissan, Hiroto Saikawa, disse que 6.400 cortes de pessoal já foram realizados nos anos fiscais de 2018 e 2019 em oito locais, informa a AFP. No entanto, ele se recusou a identificar os seis lugares onde a empresa planeja fazer outros 6,1 mil cortes no período fiscal de 2020-2022.
“A Nissan reduzirá sua capacidade de produção global em 10% até o final do ano fiscal de 2022. Em consonância com as otimizações de produção, a empresa reduzirá a força de trabalho em aproximadamente 12.500 pessoas”, disse a empresa em um comunicado.
Hiroto Saikawa, presidente da Nissan, anuncia resultados fiscais da empresa nesta quinta-feira (25) em Tóquio
Issei Kato/Nissan
No primeiro trimestre do ano fiscal 2019-2020 (abril-junho), o lucro líquido da Nissan caiu quase 95%, para 6,4 bilhões de ienes (52 milhões de euros na taxa de câmbio utilizada pelo grupo), enquanto seu volume de negócios diminuiu 12,7% nesse período.