Ney Matogrosso revela a capa do EP em que canta Caetano Veloso, Lenine, Raul Seixas e o cubano Silvio Rodríguez


O disco ‘Nu com a minha música’ tem lançamento agendado para sábado, 1º de agosto, dia do 80º aniversário do cantor. ♪ Esta é a capa criada pelo designer Lucas Bittencourt, a partir de foto de Leo Aversa, para o EP Nu com a minha música, de Ney Matogrosso. O disco chega ao mundo digital no sábado, 1º de agosto, dia do 80º aniversário do artista nascido em 1941 em Bela Vista (MS).
Trata-se da primeira amostra do álbum também intitulado Nu com a minha música e previsto para ser lançado em novembro pela gravadora Sony Music.
O EP será promovido com a gravação da música-título Nu com a minha música (1981), composição de Caetano Veloso, lançada há 40 anos na voz do autor e revivida por Ney com arranjo do violonista Marcelo Gonçalves.
O lote de faixas do EP Nu com a minha música inclui as gravações de Se não for amor, eu cegue (2011) – composição de Lenine e Lula Queiroga, apresentada pelos autores há dez anos (em gravações quase simultâneas para os respectivos discos dos artistas) e abordada por Ney com arranjo do guitarrista Ricardo Silveira – e de Gita (Raul Seixas e Paulo Coelho, 1974), música gravada pelo cantor com arranjo do pianista Leandro Braga.
A quarta música do EP é Unicórnio (1982), composição em espanhol do artista cubano Silvio Rodríguez, cantada por Ney com arranjo do tecladista Sacha Amback.
Inicialmente cogitadas para já serem apresentadas no primeiro EP do álbum Nu com a minha música, as faixas Estranha toada (Martins e PC Silva, 2019) e Noturno (Vitor Ramil, 2004 / 2021) – composição ampliada pelo autor a pedido de Ney – serão lançadas posteriormente.
Outras músicas selecionadas por Ney para o álbum Nu com a minha música são Sua estupidez (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969), Quase um segundo (Herbert Vianna, 1988), Sei dos caminhos (Itamar Assumpção e Alice Ruiz, 1991), Espumas ao vento (Accioly Neto, 1997), Xique Xique (José Miguel Wisnik e Tom Zé, 1997), Faz um Carnaval comigo (Pedro Luís, 2019) e Boca (Felipe Rocha, 2020).