Músicas para descobrir em casa – ‘Vidas inteiras’ (Adriana Calcanhotto, 2008)


Cartaz de ‘Polaroides urbanas’, filme que apresentou na trilha sonora a canção ‘Vidas inteiras’, de Adriana Calcanhotto
Reprodução
♪ MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA – Vidas inteiras (Adriana Calcanhotto, 2008) com Adriana Calcanhotto
♪ Uma das mais finas estilistas da canção brasileira produzida a partir dos anos 1990, Adriana Calcanhotto é compositora que poda excessos. Há músicas da artista com tamanho poder de síntese poética e melódica que soam como haikai embebido em conciso lirismo. Vidas inteiras é uma dessas canções.
Menos ouvida no conjunto da obra de Calcanhotto, Vidas inteiras nunca integrou a discografia oficial da artista. É que a canção foi cedida e gravada para a trilha sonora criada pelo produtor musical Guto Graça Mello para o filme Polaroides urbanas (2008), primeiro longa-metragem de Miguel Falabella.
Confinada somente a essa trilha, nunca editada em disco, a canção Vidas inteiras pode ser descoberta na voz de Calcanhotto em vídeos que reproduzem o áudio da gravação original feita para o filme. Contudo, existe uma regravação da música em disco – e essa única abordagem posterior supera o registro original da autora.
A proeza coube à grande cantora paulistana Célia (1947 – 2017) em gravação feita para o álbum 40 anos – O lado oculto das canções, disco gravado sob direção artística de Fernando Cardoso e produção musical do pianista Ogair Jr., tendo sido lançado em 2010 para festejar as quatro décadas de carreira de Célia.
A cantora deu outra dimensão à canção Vidas inteiras em registro de atmosfera mais densa, por vezes etérea, em arranjo minimalista em que Ogair Jr. salpicou notas ao piano entre sons da percussão suave de Nelson Essi e a marcação sutil do contrabaixo acústico de Marcos Paiva.
E cabe ressaltar que a gravação de Vidas inteiras por Célia foi editada em dois discos em dois formatos distintos. No álbum da cantora, a canção de Calcanhotto reapareceu unida em medley com o bolero Déjame ir (Mike Ribas e Chico Novarro, 1968), sendo que o registro da composição de Calcanhotto ocupa somente dois minutos e 24 segundos da faixa.
No disco com a trilha sonora da novela Passione (TV Globo), editado em CD no mesmo ano de 2010, a gravação de Vidas inteiras é ouvida sem o bolero argentino em fonograma que totaliza três minutos e 43 segundos.
Na versão editada no disco da novela, Célia repete a letra sucinta em que Adriana Calcanhotto fala de amor que pode esperar vidas inteiras para se realizar, com a advertência quase irônica de que, dependendo da demora do amado em corresponder ao sentimento, o amante pode considerar tarde mais para viver esse amor.
♪ Ficha técnica da Música para descobrir em casa 8 :
Título: Vidas inteiras
Compositora: Adriana Calcanhotto
Intérprete original: Adriana Calcanhotto
Álbum da gravação original: A gravação original da canção Vidas inteiras nunca foi lançada em disco, permanecendo somente na trilha sonora do filme Polaroides urbanas, de Miguel Falabella
Ano da gravação original: 2008
Regravações que merecem menções: a da cantora Célia no álbum 40 anos – O lado oculto das canções (2010).
♪ Eis a letra de Vidas inteiras :
“Não seja por isso
Eu não tenho pressa
Eu posso esperar
Vidas inteiras
Mas tenha certeza
De que lhe interessa
Deixar escapar
O ouro do agora
Para que não seja
Numa tarde dessas
Tarde demais”