Músicas para descobrir em casa – ‘Outono’ (Billy Blanco, 1952) com Dolores Duran


Dolores Duran, cantora que lançou em disco, em 1952, o samba-canção ‘Outono’, de Billy Blanco
Reprodução / Capa da coletânea ‘Dolores Duran – Que bom será’
♪ MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA – Outono (Billy Blanco, 1952) com Dolores Duran
♪ William Blanco de Abrunhosa Trindade (8 de maio de 1924 – 8 de julho de 2011) – o Billy Blanco, artista paraense projetado como compositor na cidade do Rio de Janeiro (RJ) ao longo da década de 1950 – ficou mais associado a sambas espirituosos como A banca do distinto (1959), Estatutos de gafieira (1954), Estatuto de boite (1956) e Pano legal (1956).
Contudo, Billy Blanco também transitou pelo universo melodramático samba-canção. Quando a cantora carioca Nina Becker pôs em cena o show Minha Dolores, em 2013, chamou atenção no roteiro a beleza refinada de Outono, samba-canção da lavra de Blanco.
Até então esquecido, o samba-canção Outono ganhou na voz delicada de Nina o melhor registro – como ficou comprovado no álbum Minha Dolores – Nina Becker canta Dolores Duran, editado em 2014 pela gravadora Joia Moderna com gravações de músicas do show estreado no ano anterior.
Contudo, como já indicavam o título e o subtítulo do show e do disco de Nina, Outono surgiu na voz de Dolores Duran, nome artístico da cantora e compositora carioca Adiléia Silva da Rocha (7 de junho de 1930 – 24 de outubro de 1959).
Intérprete que suavizava o sentimentalismo dramático do samba-canção, em linha quase oposta à de outras cantoras da década de 1950, Dolores lançou Outono em single de 78 rotações por minuto editado em 1952 pela gravadora Star.
Com o número Star 349 no selo, o single apresentou a gravação orquestral de Outono na voz da cantora, então em início de carreira fonográfica, na qual debutara em 1951. Outono era o lado A do single. No lado B, Dolores apresentou Um amor assim (Dora Lopes, 1952).
As folhas mortas de Outono caíram sem o peso do drama na boa gravação de Dolores. Em 1973, decorridos 21 anos do registro fonográfico original do samba-canção, foi a vez de Alaíde Costa entrar no clima melancólico de Outono em gravação feita pela cantora para álbum assinado com o violonista Oscar Castro Neves (1940 – 2013).
Nesse mesmo ano de 1973, precisamente em 23 de abril, o próprio compositor Billy Blanco deu voz e violão a Outono em número musical do programa MPB especial. O áudio desse programa de TV gerou, em 2000, disco do compositor na série A música brasileira por seus autores e intérpretes.
Como autor da música, Billy Blanco soube acertar o tom ameno de Outono. Mas ninguém – nem mesmo a refinada Dolores Duran – elevou o samba-canção de Billy Blanco às alturas como Nina Becker no álbum Minha Dolores.
♪ Ficha técnica da Música para descobrir em casa 16 :
Título: Outono
Compositor: Billy Blanco
Intérprete original: Dolores Duran
Álbum da gravação original: Single de 78 rotações por minuto Star 349
Ano da gravação original: 1952
Regravações que merecem menções: a de Alaíde Costa no álbum Alaíde Costa & Oscar Castro Neves (1973), a de Billy Blanco em disco da série A música brasileira por seus autores e intérpretes (1973 / 2000) e sobretudo a de Nina Becker no álbum Minha Dolores (2014)
♪ Eis a letra de Outono :
“As verdes folhas de um amor em botão
Roubavas sem ver
Que um velho tronco retorcido
Um coração deixavas a sofrer
Outono, sopra o vento
Folhas mortas vão ao chão
Para se erguer em poeira
Que volta em errante num brisa de verão
Outono da minha vida
Sem o calor do seu amor
Sou uma folha caída
Poeira perdida num vento de dor”