Múmia de leão-das-cavernas de 28 mil anos da Sibéria é o animal da Idade do Gelo mais bem preservado já encontrado


Sparta, uma filhote de leão-das-cavernas, foi encontrada até com os bigodes preservados. Imagem de Sparta, a filhote de leão-das-cavernas de 28 mil anos que foi encontrada na Sibéria
Reprodução/@Centre for Palaeogenetics
O corpo de uma filhote de leão-das-cavernas de cerca de 28 mil anos foi encontrado mumificado, mas em ótimo estado para ser estudado na Sibéria, uma região da Rússia.
O animal foi apelidado de Sparta e, segundo o autor de um estudo sobre o leão, Love Dalen, é provavelmente o animal da Idade do Gelo mais bem preservado já encontrado. Em uma entrevista à rede CNN, ele afirmou que Sparta está quase intacto, apesar de o pelo estar bagunçado. “Ela até preservou os bigodes”, disse o cientista.
Veja abaixo uma reportagem sobre uma múmia de gato encontrada no Egito.
Cientistas ‘desenrolam’ digitalmente múmia de gato egípcia
LEIA TAMBÉM
A surpreendente história por trás da 1ª múmia egípcia grávida descoberta
Múmias egípcias de animais são ‘abertas’ por cientistas em imagens 3D; veja VÍDEO
Foi encontrado um segundo filhote de leão na mesma caverna a cerca de 15 metros de distância —os dois, no entanto, têm idades muito diferentes, há cerca de 15 mil anos de diferença. Boris, o outro exemplar, tem cerca de 43,5 mil anos.
Os dois foram encontrados em 2017 e 2018 por pessoas que buscavam marfim de mamute no meio do gelo nas margens do rio Semyuelyakh.
Nesta semana foi publicado um estudo sobre os leões.
Reprodução de imagem publicada na revista científica Q Quaternary com imagens de leão-das-cavernas que foi encontrado congelado
Reprodução/Q Quarternary
O grande número de filhotes indica que essa região da Sibéria era um local favorável à procriação para leões de caverna e que esse lugar específico tinha algumas características que faziam com que o congelamento fosse rápido, o que preservava os animais.
Apesar de ser favorável à procriação, o local também deveria ser suscetível a colapsos.
A cor do pelo das múmias indica que os animais estavam em processo de troca de pelo que geralmente acontece da infância para a idade adulta —isso acontece entre um mês e dois meses de idade.
Os leões da região provavelmente tinham pelo cinzento, que é mais adaptado à região da Sibéria.
Veja os vídeos mais assistidos do G1