‘Mulan’: Adaptação do desenho da Disney exalta visual, mas falta ‘profundidade’, dizem críticos


G1 compila reviews dos principais veículos americanos, que já assistiram ao longa. Versão com atores ainda não tem data para chegar ao Brasil. Assista ao 2º trailer de ‘Mulan’
“Mulan”, uma das grandes produções da Disney em 2020, é lançada nesta sexta (4) na plataforma digital de vídeos Disney+ nos Estados Unidos. O valor do filme é de US$ 30. Segundo a assessoria da Disney, o filme ainda não tem data para estrear no Brasil.
A imprensa norte-americana publicou, na quinta (3), as críticas ao longa da diretora Niki Caro. No site especializado Metacritic, que reúne avaliações da imprensa, ele tem nota 69.
No Rotten Tomatoes, recebeu 80. Como “consenso da crítica”, o site diz que o filme “poderia ter contado a história clássica com mais profundidade, mas é uma maravilha visual que serve como atualização emocionante” da animação.
A revista “The Hollywood Reporter” disse que a Disney deu à personagem status de super-heroína e elogiou a fotografia do filme como “um banquete visual infinito”. O longa foi filmado na China e na Nova Zelândia. Mas criticou o conteúdo. “Enredo pouco envolvente e performances atrofiadas.”
Todos os jornais lamentam que a estreia não aconteça no cinema, por causa das cores vivas e das sequências de ação.
Com cinemas fechados, filmes estreiam direto em plataformas de vídeos nos EUA; veja lista
A revista “Entertainment Weekly” avaliou como “um épico arrebatador e sombrio”, mas sentiu falta dos momentos de música extintos do filme.
Mesmo baseado na animação de 1998, o filme é capaz de surpreender, disse o jornalista do site Indiewire. A revista “Empire” celebrou a escolha de focar na trajetória da heroína, mas opinou que o desenvolvimento dos coadjuvantes ficou prejudicado.
Segundo a revista “Variety”, essa mudança de tom acontece porque o filme de Caro é, ao mesmo tempo, “homenagem e releitura da animação de 1998 e uma versão robusta da fonte original do filme, a canção ‘The Ballad of Mulan’.”
A revista diz que a renovação pode decepcionar os fãs do desenho, mas tem potencial para agradar a nova geração inspirada pelo “empoderamento feminino”.
“Mulan” tinha estreia original prevista para o dia 27 de março na América do Norte, mas foi adiado algumas vezes por causa da pandemia do novo coronavírus.
O filme também será lançado em cinemas que já tiverem reaberto após as medidas de isolamento social em mercados que ainda não têm Disney+, como a China.
Quem está no elenco?
Liu Yifei como Mulan em primeira foto do novo filme da personagem
Reprodução/Twitter/Disney
A atriz chinesa Liu Yifei interpreta a heroína Mulan. Donnie Yen, Jet Li e Li Gong também estão no elenco.
Yifei, de 30 anos e também conhecida como Crystal Liu, é uma das atrizes mais populares da atual geração na China. Além de participar de produções do país, ela atuou em inglês em filmes americanos como “O reino proibido” (2008) e “O imperador” (2014).
Disney+ chega ao Brasil em novembro
A plataforma de vídeos vai ser lançada em novembro no Brasil e na América Latina. O preço da assinatura ainda não foi divulgado.
O serviço vai reunir filmes e séries de Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic, além de conteúdos originais.
Lançado em novembro de 2019 nos Estados Unidos e outros países, o Disney+ já conta com 60,5 milhões de assinantes.