Mourão diz que redução do desmatamento na Amazônia no último ano deve ficar abaixo da meta

Vice projetava reduzir em 10% o desmatamento, porém queda deve ficar na faixa de 5%. Em julho, governo voltou a utilizar Forças Armadas na Amazônia. O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (2) que provavelmente não será cumprida a meta de redução de desmatamento na Amazônia. Contudo, a queda abaixo do esperado representará um “caminho andado” na preservação da floresta.
Ao apresentar em julho a nova operação de Garantia de Lei e da Ordem (GLO) contra crimes ambientais na região, a Operação Samaúma, o vice declarou que desejava atingir até 12% de redução na taxa anual de desmatamento, calculada entre agosto de 2020 e julho de 2021.
Nesta segunda, ao ser questionado sobre o andamento da ação militar, Mourão declarou que a redução deve ficar na faixa de 4% a 5%. O vice preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal.
“Fechou o ciclo, o ciclo fechou no dia 31 de julho, provavelmente não vou cumprir aquilo que eu achava que seria o nosso papel de chegar a 10% de redução. Acho que vai dar na faixa de 4% a 5%, uma redução muito pequena, muito irrisória, mas já é um caminho andado”, disse Mourão.