Morris assenta as pedras de álbum construído a partir de exposição do artista chinês Ai Weiwei


♪ Cantor, compositor e músico paulistano, Morris Picciotto lança o segundo álbum neste segundo semestre de 2020 via YB Music. Intitulado Homem Mulher Cavalo Cobra, o disco já está pronto, tendo sido gravado sob direção artística de Romulo Fróes com 13 músicas no inédito repertório autoral.
Cada faixa do álbum é caracterizada como uma “pedra” e ganha um número sequencial. Oito “pedras” já foram paulatinamente apresentadas em singles e/ou clipes com os quais Morris vem assentando os alicerces deste disco gerado a partir da ida do artista a uma exposição de Ai Weiwei, designer arquitetônico e artista plástico chinês.
A visão da mostra retrospectiva de Weiwei – em cartaz em São Paulo (SP) em 2018 – inspirou Morris a compor as músicas Boia de pedra (ainda inédita) e Pátria bipolar (apresentada em junho).
A partir da associação de Morris com Romulo Fróes, o conceito do disco foi expandido e estruturado em quatro blocos temáticos, preenchidos por parcerias de Morris com artistas associados à cena indie da cidade de São Paulo (SP).
O bloco Morte compreende as composições Doía (Morris e Romulo Fróes), Espelho cego (outra parceria de Morris com Romulo) e Um dia lindo para morrer (Morris e Clima).
O bloco Identidade abrange as músicas Alguma algum ninguém (Morris e Maurício Pereira), Longe da árvore (Morris e Juliana Perdigão) e O meu lugar nenhum lugar (Morris).
Já o bloco Mitologia abarca as faixas Dois irmãos (parceria de Morris com Rodrigo Campos, programada para ser lançada na sexta-feira, 7 de agosto), a música-título Homem Mulher Cavalo Cobra (Morris) e Onça-çá (Morris e Clima).
Por fim, o bloco Pessoas inclui Desalentado (Morris e César Lacerda) e Exausta (parceria de Morris com Alice Coutinho gravada com a voz de Juçara Marçal), além das já mencionadas faixas Boia de pedra e Pátria bipolar.
O álbum Homem Mulher Cavalo Cobra foi formatado com os toques de músicos como Allen Alencar (guitarra), Igor Caracas (bateria), Felipe Roseno (percussão), Marcelo Cabral (baixo synth) e Rodrigo Campos (guitarra), além do próprio Morris (no violão de nylon).