Ministro da Educação lança pedra fundamental de Ifes; prefeitura de Presidente Kennedy pagará obra


Nova unidade vai custar R$ 48 milhões e será inteiramente paga pela administração municipal. Ministério da Educação será responsável pelo custeio. A previsão é que a obra seja finalizada em dois anos. Ministro da Educação visita o Espírito Santo para inaugurar pedra fundamental de campus do Ifes em Presidente Kennedy
Reprodução/ TV Gazeta
A obra da futura unidade do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) em Presidente Kennedy, no Sul do estado, onde o ministro da Educação, Milton Ribeiro, esteve nesta quinta-feira (19) para lançar a pedra fundamental, será custeada pela prefeitura do município.
O campus será a 23ª unidade do Ifes. Para a construção da nova unidade de ensino técnico, a administração municipal de Presidente Kennedy cedeu o terreno e vai desembolsar R$ 48 milhões para a obra.
A cidade, com pulação estimada de 11.658 habitantes pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), teve o maior PIB per capita do Brasil em 2020.
No último ano, foram repassados ao município R$ 152 milhões em royalties de petróleo. Esse valor, segundo a Lei dos Royalties, deve ser aplicado 75% para educação e 25% para saúde. O dinheiro, no entanto, não pode ser gasto com custeio, como o pagamento de funcionários.
Presidente Kennedy, no Espírito Santo
Divulgação
Segundo a prefeitura, a negociação para que um campus do instituto fosse instalado em Presidente Kennedy levou dois anos. A expectativa da administração municipal é que a escola fique pronta em dois anos após o início da obra.
As aulas, no entanto, devem começar a ser ministradas antes disso. A prefeitura vai ceder o espaço de uma escola municipal para o Ifes até que o prédio seja finalizado.
De acordo com o Ifes, a unidade terá capacidade de 1.200 alunos e os cursos ainda serão definidos em debate com a comunidade. Para essa definição, será levado em consideração o mercado produtivo local.
Ministério da Educação
O papel do Ministério da Educação (MEC) no processo, de acordo com o Ifes, foi o de autorizar a implantação. Futuramente, quando o local estiver construído e equipado, o ministério será o responsável pelo custeio da unidade.
Para isso, o MEC vai publicar uma portaria autorizando o funcionamento, com cargos, funções e valores para custeio da instituição.
De acordo com a pasta, o orçamento de repasses para o Ifes em 2021 é de R$ 745 milhões. O valor é R$ 23 milhões menor do que estava previsto para 2020. No ano passado, porém, o MEC executou R$ 657 milhões do orçamento para a unidade, 14% menor do que estava previsto.
A reportagem questionou ao MEC se haverá um aumento no orçamento previsto, considerando que o número de unidades será maior, mas a assessoria não respondeu aos questionamentos.
De acordo com o reitor do Ifes, Jadir Pela, a maior parte dos recursos usados na manutenção e incentivo à pesquisa são provenientes de emendas parlamentares. Na parte de custeio – gastos básicos para o funcionamento das unidades como água, luz e serviços – a instituição sofreu um corte de 22% em 2021, cerca de R$ 15 milhões a menos.
Por nota, a prefeitura informou que após a construção pretende buscar diálogo com parlamentares que integram a bancada capixaba no Congresso Nacional para conseguir investimentos para a instituição.
Reitoria do Ifes, em Vitória
Divulgação/Ifes
Vídeos: tudo sobre o Espírito Santo
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo