Minério de ferro na China tem forte queda com Vale retomando operação em Brucutu


Maior mina da Vale em Minas Gerais estava fechada desde o início de fevereiro, após o rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho. Mina Brucutu, da Vale, em imagem de arquivo
Darlan Alvarenga/G1
Os futuros do minério de ferro na China caíram fortemente nesta quarta-feira (17), à medida que a mineradora brasileira Vale se prepara para retomar a operação de sua mina de Brucutu, a maior da empresa em Minas Gerais, mesmo com rivais australianos tendo reduzido previsões de produção no ano.
Os futuros mais negociados, para entrega em setembro na bolsa de Dalian, chegaram a cair 4,7%logo após a abertura do mercado. Eles fecharam em baixa de 3,8%, a 621 iuanes (US$ 92,86).
O mercado espera um alívio na oferta após a Vale ter dito na véspera que irá retomar a produção de Brucutu em até 72 horas.
A mina, com uma capacidade anual de 30 milhões de toneladas, estava fechada desde o início de fevereiro, após o rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho (MG) que deixou quase 300 mortos e desaparecidos.
Vale diz que chuvas afetaram produção no sistema norte e atualiza projeção
Enquanto isso, as mineradoras australianas BHP e Rio Tinto reduziram suas previsões para a produção de minério de ferro neste ano após um ciclone tropical atingir a Austrália Ocidental em março.
A BHP reduziu a projeção de produção para entre 265 milhões e 270 milhões de toneladas, de entre 273 milhões e 283 milhões anteriormente, enquanto a Rio Tinto cortou a previsão para de 333 milhões a 343 milhões, de entre 338 milhões e 350 milhões.
Já os futuros do vergalhão de aço em Xangai caíram 0,2%, para 3,795 iuanes por tonelada.