Mick Rock, fotógrafo que imortalizou David Bowie, morre aos 72 anos


Autor de famosos retratos de Lou Reed, Iggy Pop, Sex Pistols e Blondie, Mick era conhecido como ‘o homem que fotografou os anos 1970’. Foto de 2016 mostra Mick Rock, fotógrafo de estrelas do rock, na exposição ‘Life on Mars’, sobre os anos de Ziggy Stardust de David Bowie
Remy Gabalda/AFP
Conhecido por ter imortalizado inúmeras lendas da música em imagens icônicas, de David Bowie aos Sex Pistols, o fotógrafo britânico Mick Rock morreu, aos 72 anos. A informação foi divulgada pela família nesta sexta-feira (19).
“É com grande pesar que anunciamos que nosso querido renegado psicodélico Mick Rock fez a viagem junguiana para o outro lado”, escreveram os familiares em sua conta no Twitter, referindo-se ao psicanalista Carl Jung.
“Quem teve o prazer de viver em sua órbita sabe que Mick foi muito mais do que ‘o homem que fotografou os anos 1970′”, como era popularmente conhecido.
A família não especificou as circunstâncias da morte do fotógrafo, nascido em Londres, em 1948, e graduado em Línguas Medievais e Modernas pela Universidade de Cambridge.
“Era um poeta da fotografia, uma verdadeira força da natureza que passava seus dias fazendo exatamente aquilo de que gostava, sempre do seu jeito deliciosamente escandaloso”, acrescenta a mensagem.
Fotógrafo icônico da cena do rock, foi o autor de famosos retratos de Lou Reed, Iggy Pop, Sex Pistols e Blondie. Ficou conhecido no início dos anos 1970 por seus primeiros retratos de Bowie.
Por quase dois anos, Mick foi o fotógrafo oficial do cantor e compositor britânico, para quem fez capas de discos, pôsteres e os vídeos de “Live on Mars” e “Space Oddity”.
Rock também acompanhou a vida do extravagante e decadente Ziggy Stardust, o alter ego de Bowie entre 1972 e 1973, que se cruzou com Lou Reed, Iggy Pop, Roxy Music e Marianne Faithfull.