Melvin Van Peebles, pioneiro do cinema ‘Blaxploitation’, morre aos 89 anos


Filme ‘Sweet Sweetback’s Baadasssss Song’ é considerado o marco inicial de movimento que deu à comunidade negra uma voz influente em Hollywood e influenciou gerações de cineastas. Diretor Melvin Van Peebles posa no Festival de Cinema dos EUA em 2012
Charly Triballeau/AFP
O diretor e roteirista americano Melvin Van Peebles, pioneiro do cinema “Blaxploitation”, cujo filme “Sweet Sweetback’s Baadasssss Song” inspirou várias gerações de cineastas negros, morreu aos 89 anos na madrugada de quarta-feira (22).
“Temos a tristeza de anunciar a morte de um gigante do cinema americano, Melvin Van Peebles, que faleceu durante a noite passada (madrugada de terça para quarta) em sua casa, com sua família, aos 89 anos”, anunciaram seu filho, o ator Mario Van Peebles, e a distribuidora Criterion Collections em um comunicado.
“Em uma carreira incomparável, Van Peebles deixou uma marca indelével no cenário cultural internacional. Sua falta será profundamente sentida”, completa o texto.
Com o filme “Sweet Sweetback’s Baadasssss Song” (1971), Melvin Van Peebles inaugurou a era do “Blaxploitation”, um movimento cinematográfico que deu à comunidade negra uma voz influente em Hollywood e influenciou cineastas como Spike Lee e Barry Jenkins.
“Sweet Sweetback’s Baadasssss Song” é um filme de baixo orçamento sobre um homem que atua em shows de sexo que mata dois policiais racistas que agrediram um ativista dos Panteras Negras.
“Eu nem sabia que tinha um legado”, declarou ao jornal New York Times em 2010. “Eu faço o que quero fazer”.
“Sweet Sweetback”, que ele escreveu, dirigiu e financiou, e no qual interpreta o protagonista, foi exigido em apenas duas salas de cinema, mas ganhou fama e no fim arrecadou US$ 10 milhões de dólares. Este foi o longa-metragem independente mais rentável da história naquela época, segundo o Hollywood Reporter.