‘Me salva, Zé Gotinha’: Quem é o ‘pai’ do macaco Severino, criador de hits da quarentena no Brasil


Bichinho virou ‘influenciador’ com paródias sobre problemas do isolamento. Produtor de 22 anos grava vídeos com ajuda da família: ‘Ele fala de coisas sérias de uma forma divertida’. O macaco Severino, personagem que faz sucesso na internet durante a quarentena do coronavírus
Reprodução/Instagram/Marcus Eni
Quem diria que um macaco de pelúcia com roupinha e lacinho rosa na cabeça poderia traduzir tão bem os conflitos existenciais da quarentena causada pelo coronavírus?
Como muitos brasileiros, Severino – o tal macaco – luta para lidar com o medo de pegar Covid-19, a deprê, a fome incontrolável do isolamento, o vizinho que insiste em fazer aglomeração, o tédio do EAD e a saudade de brotar num paredão.
Tudo isso, ele resume em vídeos com paródias de músicas famosas no país. Sua versão de “Já sei namorar”, dos Tribalistas, virou uma espécie de hino do confinamento nas redes sociais.
Se nunca ouviu os versos “Eu só queria acordar, ligar minha TV e o William Bonner anunciar…”, conheça abaixo o hit “Me salva, Zé Gotinha”:
Initial plugin text
O pai do macaquinho é o produtor audiovisual Marcus Eni, de 22 anos, que vive uma quarentena bem menos complicada do que a de sua criatura. “Estou tranquilo. Ele com certeza está mais surtado do que eu”, brinca, em entrevista ao G1.
Os vídeos do personagem foram a forma que arrumou para “passar o tempo” com a família no isolamento. A mãe de Marcus faz as roupas de Severino, sua namorada e sua irmã ajudam nas gravações. Tudo é feito em casa.
“A gente tá seguindo a quarentena bem direitinho, só saímos quando é realmente necessário. Não é o momento de ir para a rua”, afirma.
O produtor Marcus Eni, 22, posa com o macaco Severino, personagem que faz sucesso na internet durante a quarentena
Reprodução/Instagram/Marcus Eni
“Produzir os vídeos tem me ajudado e sinto que também está ajudando outras pessoas. Muitas vezes, o Severino fala de coisas sérias, mas de uma forma divertida.”
A cada semana, o produtor escolhe um tema, uma música para servir de base e cria, sozinho, as paródias. Severino canta de tudo: funk, forró, MPB, clássicos infantis…
Initial plugin text
Emplacando um sucesso atrás do outro, o macaquinho já virou influenciador. O perfil de Marcus no Instagram, uma das plataformas onde ele publica os vídeos, tem quase 160 mil seguidores.
“Ainda não ganhei dinheiro com o Severino, mas recebemos vários ‘mimos’”, conta. O dono da página diz já ter sido procurado por empresas interessadas em ter o bichinho como garoto-propaganda.
Lembrou de outro personagem?
Antes da pandemia, Severino já fazia sucesso entre os seguidores de Marcus, que compartilhava fotos na companhia do macaco.
Mas foi quando ganhou uma voz fofa que o personagem conquistou fãs fora do círculo de amigos de seu pai. “Fiz um vídeo com ele incentivando as pessoas a lavarem as mãos. Foi o primeiro a viralizar, ainda no Facebook”, lembra Marcus.
Marcelinho, bichinho inanimado famoso na internet, foi criado por Erik Gustavo
Reprodução/Instagram/Erik Gustavo
O produtor, que já trabalhou com dublagem, moldou a voz do bichinho. Mas o tom de Severino é frequentemente associado ao de outro personagem famoso das redes sociais, o Marcelinho, criação de Erik Gustavo.
“Conheci o Erik já depois de começar a fazer os vídeos do Severino. Conversamos e acabamos nos tornando colega de produção”, diz Marcus.
Pra afastar os boatos de rivalidade, Severino e Marcelinho já fizeram até um feat. Nada de climão entre os memes inanimados da internet brasileira.
Initial plugin text